Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  LETI

Descrição

Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática

ISCTE-IUL

Coordenadores 2016/2017

Prof. Doutor(a)  Rui Marinheiro

Prof. Doutor(a)  Paulo Jorge Lourenço Nunes

Prof. Doutor(a)  Francisco Monteiro

Prof. Doutor(a)  Marco Alexandre Ribeiro

Breve introdução

O sector dos serviços de Telecomunicações e Informática é um dos de mais rápido crescimento a nível mundial (em alguns países o mercado do radio móvel - telefones celulares - tem taxas de crescimento superiores a 100%, e os serviços Internet chegam a aumentar mais de 1000%).

A Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática (LETI) destina-se a preparar engenheiros capazes de resolver os grandes desafios que a sociedade da informação põe à competitividade das empresas e das nações. Se outrora a formação em Telecomunicações poderia ser concebida separada da formação em Informática, actualmente a conjugação inevitável das tecnologias de Telecomunicações, Multimédia e Informática implica a oferta de um curso com com uma abordagem integrada e uma elevada flexibilidade curricular, oferecendo uma preparação para as tecnologias do futuro.

A LETI do ISCTE tem um corpo docente altamente qualificado, ligado não apenas à investigação científica de topo (um dos maiores participantes portugueses nos projectos da União Europeia) mas também à actividade empresarial, oferecendo competências nas áreas do radio móvel, fibra óptica, serviços Internet, televisão digital, comunicações via satélite, redes locais de computadores, gestão de sistemas de computadores, produção e comunicação de programas multimédia. Por outro lado, o contexto privilegiado do ISCTE na área de gestão assegura uma formação diferenciada que contempla as componentes financeira e económica das organizações, potenciando a formação de engenheiros de qualidade, habilitados a trabalhar como quadros técnicos de topo.

No final deste primeiro ciclo (LETI) os licenciados adquirem as competências básicas nas áreas da engenharia das telecomunicações e da informática que lhes permitem aplicar esses conhecimentos na resolução de problemas no meio profissional, onde podem ser imediatamente integrados.

Objectivos gerais

A Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática destina-se a preparar engenheiros capazes de resolver os grandes desafios que a sociedade da informação põe à competitividade das empresas e das nações. Se outrora a formação em Engenharia de Telecomunicações podia ser concebida separadamente da formação em Engenharia Informática, actualmente a convergência inevitável das várias Tecnologias da Informação, implica a oferta de cursos com uma abordagem integrada e uma adequada preparação para as tecnologias do futuro. No final da Licenciatura, os licenciados adquirem as competências básicas nas várias áreas da Engenharia de Telecomunicações e Informática que lhes permitem aplicar esses conhecimentos na resolução de problemas no meio profissional, onde podem ser imediatamente integrados. Em particular, são oferecidas competências em áreas tais como as comunicações móveis, a televisão digital, a fibra óptica, os serviços de Internet, a gestão de sistemas e redes de computadores, ou a produção de programas multimédia.

Saídas profissionais

A Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática possui uma estrutura concebida de raiz de forma a facultar um vasto leque de saídas profissionais, cujas competências permitam satisfazer as previsíveis necessidades do mercado de trabalho, cada vez mais competitivo e tecnológico, de acordo com a realidade nacional e europeia em que estamos inseridos. Não é, por isso, de estranhar que todos os anos esta licenciatura esgote as vagas disponíveis. Outro factor relevante tem sido a grande aceitação dos recém licenciados pelas principais empresas do sector (operadoras de telecomunicações, informática, prestação de serviços, energia, desenvolvimento de novas tecnologias e investigação, etc.), que têm facultado estágios e procurado novos candidatos, quando ainda em fase terminal do seu curso. De entre as competências proporcionadas pela Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática, destacam-se as seguintes áreas:

  • Produção de conteúdo audiovisual (novas tecnologias que utilizam a combinação de imagens, sintéticas e naturais; animação por computador; etc.).
  • Gestão de redes de telecomunicações.
  • Planeamento de redes e sistemas de telecomunicações.
  • Manutenção de redes inteligentes e sistemas de telecomunicações.
  • Publicidade em tempo real na Internet.
  • Comércio electrónico.
  • Banca electrónica.
  • Segurança nas redes electrónicas.
  • Sistemas de Informação de Gestão Empresarial.
  • Investigação e desenvolvimento de novas aplicações (serviços de radio móvel, bases de dados multimédia, realidade virtual, entretenimento e imagens 3D, etc.).
  • Desenvolvimento de sistemas inteligentes para aplicações ambientais.

Trabalhos de investigação e ligação às empresas e outras instituições

A vocação abrangente da Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática tem permitido aos seus alunos realizar trabalhos de investigação e estágios em colaboração com inúmeras empresas e outras instituições de investigação nacionais e internacionais, das quais se salienta a participação em projectos de investigação europeus, nomeadamente na área do rádio móvel para desenvolvimento da geração 3,5G ("Simulação de Canais MIMO para Sistemas E-UMTS", "Simulação da Gestão dos Recursos Rádio em UMTS", etc.).

A ligação a centros de investigação de excelência como o Instituto de Telecomunicações, a ADETTI (Membro da E-Next Rede de Excelência em Redes de Computadores do FP6 da Comissão Europeia), e o facto de ser membro de instituições como a APIET (Associação Portuguesa para o Intercâmbio de Estudantes Estagiários Técnicos) ou o PlanetLab, tem possibilitado a realização de trabalhos de investigação e estágios nas áreas mais diversas, de que são exemplo as seguintes:

Entidade Título do Projecto ou Estágio
ADETTI OGRE -­ Open Gestures Recognition Engine - Motor de Reconhecimento de Gestos
ADETTI ARTIC - Augmented Reality Tangible Interface by Color Evaluation
ADETTI CADISMEES -­ Distribuição de Conteúdos MPEG-4 via Internet Pública
ADETTI - Biblioteca Nacional ARCO -­ Armazenamento e Computação em Rede para Bibliotecas Digitais
ADETTI - Exército Português Desenvolvimento de um simulador militar para o treino de observação avançada em artilharia
ADETTI - Hospital de Santa Maria Die Heart -­ Diagnóstico Avançado por Ecocardiografia através da Avaliação Quantitativa do Coração
BRISA Localização e Reconhecimento de Matrículas para um Sistema de Controlo de Auto-Estradas
INESC Rede Piloto de Distribuição Áudio/Vídeo MPEG-4 sobre a Internet
Instituto de Meteorologia Validação "Projecto LSA SAF do Instituto de Meteorologia"
ONI Desenvolvimento de uma plataforma de distribuição de conteúdo multimédia para oferecer serviços numa rede de telecomunicações
PT-SI Electronic Billing Presentation and Payment
PT-SI Normas de Segurança em Sistemas de Informação
PT-SI Solução para Controlo e Monitorização de um Sistema de Medição de Tráfego
PT-SI Controle Domótico pela Rede de Telecomunicações
REN (Rede Eléctrica Nacional) Monitorização de Elementos através da Plataforma HP OpenView
Siemens Validação funcional de Interface Óptico de Alto Débito a 10 Gigabit Ethernet
Vodafone Projecto Cell+Net -­ Extensão da Tecnologia de Agentes a Telemóveis
Vodafone Sincronismo em Redes de Voz e Dados

Refira-se que, apesar de só a partir do ano de 2002-2003 terem saído os primeiros licenciados em Engenharia de Telecomunicações e Informática, o mercado absorveu-os na sua totalidade, encontrando-se alguns com bolsas da FCT, em estágios no estrangeiro da AEISEC ou da IAESTE (International Association for the Exchange of Students for Technical Experience), ou participando nos programas Erasmus, Leonardo da Vinci e ASMUS, que já levaram estes alunos a instituições como a BT Exec (Inglaterra), a Siemens (Alemanha) ou o CERN (Suíça). Para além destas instituições há também contratados na SIBS, Microsoft (EUA) e na Comissão Europeia em Bruxelas.

Propinas

Pagamentos de propinas

No ano lectivo 2006/2007 a propina anual tem o valor de 923 € para todos os alunos e poderá ser paga de uma vez ou em quatro prestações.

Prazos de pagamento e valor

Pagamento de uma vez

923 € de 11 de Outubro a 15 de Novembro de 2006.

Pagamento a prestações

  • 1.ª prestação - 230,75 € de 11 de Outubro a 15 de Novembro de 2006.
  • 2.ª prestação - 230,75 € de 15 de Dezembro de 2006 a 16 de Janeiro de 2007.
  • 3.ª prestação - 230,75 € de 15 de Fevereiro a 15 de Março de 2007.
  • 4.ª prestação - 230,75 € de 17 de Abril a 31 de Maio de 2007.

Juros de mora

O não pagamento das propinas até ao final do prazo de cada prestação implicará o pagamento de juros de mora.

Formas de pagamento

O pagamento é feito no Multibanco, devendo para tal o aluno ter as referências respectivas. Estas referências serão enviadas para a residência oficial do aluno e poderão ser consultadas no próprio ISCTE.

O pagamento da propina poderá também ser feito por depósito bancário na CGD, conta n.º 0368 00000 3430 da agência ISCTE, referindo sempre o número de aluno no talão de depósito.

Os alunos abrangidos pela Portaria n.º 445/71 (militares condecorados ou feridos em combate ou os seus filhos) deverão fazer requerimento no prazo das inscrições pedindo isenção de propinas e apresentar declaração passada nos termos do n.º 2 daquela Portaria, caso não a tenham já entregue no ISCTE. Os alunos têm de entregar também a certidão de domicílio fiscal, bem como a dos seus pais, de quem advém o referido benefício, emitidas pela Repartição de Finanças da respectiva área de residência. As propinas serão pagas pelo Ministério da Defesa Nacional, se o processo estiver em ordem. Uma das condições é o aluno ter aproveitamento no ano anterior, isto é passar de ano.

Os alunos abrangidos pelo Despacho n.º 335/98, de 14 de Maio, relativo a Educadores de Infância e Docentes do Ensino Preparatório e Secundário, devem entregar nos Serviços Académicos, durante acto da inscrição, a declaração comprovativa da sua situação. Este pedido tem de ser enviado ao Ministério da Educação.

Os alunos bolseiros no acto de inscrição deverão fazer prova de ter requerido bolsa de estudo, nos Serviços de Acção Social.

Os alunos bolseiros deverão pagar a propina até 31 de Maio do correspondente ano lectivo, salvo se nesta data os SAS não tiverem ainda procedido ao pagamento da bolsa. Nesse caso o pagamento deverá ser feito no prazo de 15 dias úteis a contar do dia em que a prestação social for posta à disposição do bolseiro. Os estudantes a quem for recusada a bolsa devem pagar as propinas no prazo de 30 dias a contar da data de afixação das listas relativas à não concessão da bolsa de estudo. Os alunos bolseiros pagam à instituição propinas no valor de 487,11 €. O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior paga a diferença entre a propina mínima (487,11 €) e a propina fixada (923 €).

Consequências do não pagamento de propinas

O não pagamento da propina devida implica, nos termos do artigo 29.º da Lei n.º 37/2003, de 22 de Agosto,

  1. a nulidade de todos os actos curriculares praticados no ano lectivo a que o incumprimento se reporta;
  2. a suspensão da matrícula e da inscrição anual, com a privação do direito de acesso aos apoios sociais até à regularização dos débitos, acrescidos dos respectivos juros de mora, no mesmo ano lectivo em que ocorreu o incumprimento da obrigação;
  3. o impedimento de passagem de certidões ou de outros documentos e a admissão a exame; e
  4. a obrigatoriedade do pagamento de propinas em dívida de anos anteriores para que seja considerada a inscrição em determinado ano.

A situação de incumprimento no pagamento da propina é comunicada pelos serviços competentes aos Serviços de Acção Social.

Calendário Lectivo do Plano Curricular: Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática - ETI - 2009

Período de Aulas Período de Exames Prazo de Lançamento de Notas
1º Semestre 2016-09-19 ... 2016-12-17 2017-01-03 ... 2017-01-28 2017-02-10
2º Semestre 2017-01-30 ... 2017-05-27 2017-05-29 ... 2017-06-24 2017-07-03
Época Especial 2017-07-10 ... 2017-07-15 2017-07-23
    Períodos de Férias
  • Natal (2016-12-19 ... 2017-01-02)
  • Carnaval (2017-02-27 ... 2017-03-03)
  • Páscoa (2017-04-03 ... 2017-04-16)

A informação contida nesta página é da responsabilidade da equipa de coordenação do curso.