Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  MS

Sociologia da Modernidade (2 º Sem 2018/2019)

Código: 00541
Acrónimo: 00541
Nível: 2º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 20.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 21.0 h/sem 129.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2017/2018
Pré-requisitos Nenhum.
Objectivos Esta unidade tem como objectivo a formação aprofundada e especializada nas problemáticas da modernidade, da mudança nas sociedades contemporâneas, e da relação entre sociologia e modernidade. Pretende-se promover a compreensão das estratégias teórico-metodológicas bem como dos debates mais importantes nestas áreas de conhecimento. São aprofundados alguns dos principais aspectos na mudança contemporânea, na sociedade europeia e em Portugal.
Programa 1. A "modernidade" na sociologia
1.1 Luta de classes, solidariedade orgânica, acção racional
1.2 Modernização, modernidade avançada, modernidades múltiplas
1.3 Estrutura, acção e mudança
2. Processos de mudança nas sociedades contemporâneas
2.1 Composição social
2.2 Acção cívica e política
2.3 Políticas públicas e sociais
2.4 Ciência, tecnologia e inovação
2.5 Valores sociais
3. A sociologia na modernidade
3.1 Modernidade e reflexividade sociológica
3.2 Sociologia, reflexividade social, mudança
Processo de avaliação O processo de avaliação envolve:
- um trabalho final individual escrito (dimensão máxima de 10 páginas, Arial 12, espaço e meio);
- a apresentação e debate nas aulas de textos teóricos ou documentos empíricos;
- a participação nas aulas, e a assiduidade.
Estes elementos de avaliação têm a seguinte ponderação na classificação final: assiduidade e participação nas aulas: 20%; apresentação e debate de textos em aulas teórico-práticas: 30%; trabalho individual escrito: 50%.
Processo de ensino-aprendizagem As aulas teóricas serão de exposição do docente, e as teórico-práticas envolvem a apresentação e debate de um texto por parte dos mestrandos, com o enquadramento do docente. Os mestrandos devem participar nas aulas, explorar sistematicamente a bibliografia, expor em grupo e debater os temas seleccionados para as aulas teórico-práticas, e realizar o trabalho individual final. A orientação tutorial desenvolve-se ao longo do semestre.
Observações
Bibliografia básica Abrams, P. (1982), Historical Sociology, Somerset, Open Books.
Bonny, Y. (2004), Sociologie du Temps Présent: Modernité Avancée ou Postmodernité?, Paris, Armand Colin.
Boudon, R. (1984), "As teorias da mudança social", em O Lugar da Desordem, Lisboa, Gradiva, pp. 15-50.
Eisenstadt, S. N. (2001), "Modernidades múltiplas", Sociologia, Problemas e Práticas, nº 35, pp. 139-163.
Beck, U., A. Giddens, e S. Lash, Reflexive Modernization, Cambridge, Polity Press.
Martinelli, A. (2005), "From world system to world society?", Journal of World-Systems Research, vol. XI, nº 2, pp. 241-260.
Mouzelis, N. (2008), Modern and Postmodern Social Theorizing - Bridging the Divide, Cambridge, Cambridge University Press.
Nowotny, H., P. Scott, e M. Gibbons (2003), "Mode 2 revisited: the new production of knowledge", Minerva, 41, pp. 179-194.
Skocpol, T. (1984), "Emerging agendas and recurrent strategies", em Vision and Method in Historical Sociology, Cambridge, Cambridge University Press.
Bibliografia complementar PORTUGAL

Almeida, J. F. (2013). Desigualdades e perspetivas dos cidadãos: Portugal e a Europa, Lisboa, Editora Mundos Sociais.
Almeida, João Ferreira de (1998),  "Society and values", em A. C. Pinto (org.), Modern Portugal, The Society for the Promotion of Science and Scholarship, Inc., Palo Alto.
Barreto, António (1999), A Situação Social em Portugal II, Lisboa, Instituto de Ciências Sociais.
Bourdieu, P. (2001), "Avant-propos", "Pourquoi les sciences sociales doivent se prendre pour object", "Conclusion", em Science de la Science et Réflexivité, Paris, Éditions Raisons D'Agir, pp. 5-8, 167-184, 221-223.
Burawoy, M. (2005), "For public sociology", American Sociological Review, vol. 70, 1, pp. 4-28.
Cabral, Manuel Villaverde (1997), Cidadania Política e Equidade Social em Portugal, Oeiras, Celta Editora.
Capucha, Luís, E. Pegado, e S. P. Saleiro (2007), "Políticas de desenvolvimento social, emprego e segurança social", em J. M. L. Viegas, H. Carreiras e A. Malamud (orgs.), Instituições e Política - Portugal no Contexto Europeu, vol. I, Oeiras, Celta Editora, pp. 77-107.
Cardoso, Gustavo, M. do C. Gomes, e C. P. Conceição (2007), "Práticas comunicacionais na sociedade em rede", em A. F. da Costa, F. L. Machado, e P. Ávila (orgs.), Sociedade e Conhecimento - Portugal no Contexto Europeu, vol. II, Oeiras, Celta Editora, pp. 45-60.
Casanova, J. L. (s/d), "Crisis and cultural change: the countries with adjustment programmes in the European Union", Comparative Sociology (em revisão).
Casanova, José Luís (2007), "Estrutura, orientações sociais e projectos societais", em A. F. da Costa, F. L. Machado, e P. Ávila (orgs.), Sociedade e Conhecimento - Portugal no Contexto Europeu, vol. II, Oeiras, Celta Editora, pp. 165-189.
Costa, António Firmino da, F. L. Machado, e J. F. de Almeida (2007), "Classes sociais e recursos educativos: uma análise transnacional", em A. F. da Costa, F. L. Machado, e P. Ávila (orgs.), Sociedade e Conhecimento - Portugal no Contexto Europeu, vol. II, Oeiras, Celta Editora, pp. 5-20.
Costa, António Firmino da, et ali (2005), "Pode a cultura científica ser objecto de um movimento social?", "O programa Ciência Viva", "Conclusão", em Cultura Científica e Movimento Social, pp. 7-14, 15-32, 113-116.
Freire, André e Pedro Magalhães (2002), A Abstenção Eleitoral em Portugal, 1975-2001. Uma Introdução Comparativa, Lisboa, Instituto de Ciências Sociais.
Freire, João (2007), "Transformações e resistências: técnica, economia e sociedade", em A. F. da Costa, F. L. Machado, e P. Ávila (orgs.), Sociedade e Conhecimento - Portugal no Contexto Europeu, vol. II, Oeiras, Celta Editora, pp. 123-144.
Giddens, A. (1996), "In defence of sociology", em In Defence of Sociology - Essays, Interpretations and Rejoinders, Cambridge, Polity Press, pp.1-7.
Godinho, Manuel Mira (2007), "Indicadores de C&T, inovação e conhecimento: Onde estamos? Para onde Vamos?", Análise Social, 182, pp. 239-274.
Godinho, Manuel Mira, e João Caraça (1999), O Futuro Tecnológico. Perspectivas para a Inovação em Portugal, Oeiras, Celta Editora.
Goodwin, R. E., M. Rein, e M. Moran (2006), "The public and its policies", em M. Moran, M. Rein, e R. E. Goodwin (eds.), The Oxford Handbook of Public Policy, Oxford, Oxford University Press, pp. 3-38.
Mouzelis, N. (1999); "Exploring post-traditional orders: individual reflexivity, 'pure relations' and duality of structure", em M. O'Brien et al (eds.), Theorising Modernity, London, Longman.
Oliveira, Luísa (2003), "A construção social dos mundos e dos actores de inovação em Portugal", em A Mão Visível da Inovação. A Construção Social das Técnicas e dos Mercados, Lisboa, ISCTE, Tese de Doutoramento, pp. 155-203.
Pinto, António Costa (org.) (2000), Portugal Contemporâneo, Madrid, Ediciones Sequitur.
Pinto, José Madureira (2008), "Desregulação da economia, menos Estado Social?", em J. M. Pinto, e V. B. Pereira, Desigualdades, Desregulação e Riscos nas Sociedades Contemporâneas, Porto, Edições Afrontamento, pp. 105-136.
Pires, Rui Pena (1987), "Diferença e progresso: a tipologia tradicional/moderno na sociologia do desenvolvimento", Sociologia, Problemas e Práticas, nº3, pp. 149-162.
Reis, António (coord.) (1994), Portugal: 20 Anos de Democracia, Lisboa, Círculo de Leitores.
Reis, António (coord.) (2000), Portugal, Anos 2000: Retrato de um País em Mudança, Lisboa, Círculo de Leitores e Comissariado de Portugal para a Expo 2000 de Hannover.
Santos, Boaventura Sousa (org.) (2001), A Sociedade Portuguesa Perante os Desafios da Globalização, Porto, Edições Afrontamento.
Sebastião, João, e S. V. Correia (2007), "A democratização do ensino em Portugal", em J. M. L. Viegas, H. Carreiras e A. Malamud (orgs.), Instituições e Política - Portugal no Contexto Europeu, vol. I, Oeiras, Celta Editora, pp. 107-136.
Viegas, José Manuel Leite, e Sérgio Faria (2007), "Participação política - o caso português numa perspectiva comparativa europeia", em J. M. L. Viegas, H. Carreiras e A. Malamud (orgs.), Instituições e Política - Portugal no Contexto Europeu, vol. I, Oeiras, Celta Editora, pp. 59-76.
Viegas, José Manuel Leite, e António Firmino da Costa (orgs.) (1998), Portugal: Que Modernidade? Oeiras, Celta Editora.
Wall, Karin (org.) (2005), Famílias em Portugal, Lisboa, Imprensa de Ciências Sociais, pp. 51-81.

GERAL

Alexander, J. (2013), The Dark Side of Moderity, London, Polity Press.
Amable, Bruno (2005), Les Cinq Capitalismes. Diversité des Systèmes Économiques et Sociaux dans la Mondialisation, Paris Seuil.
Bauman, Zygmunt (2000), Liquid Modernity, Cambridge, Polity Press.
Bhambra, Gurminder K. (2007), Rethinkig Modernity - Postcolonialism and the Sociological Imagination, Palgrave Macmillan.
Beck, Ulrich (1992), Risk Society: Towards a New Modernity, London, Sage Publications.
Bell, Daniel (1973), The Coming of Post-Industrial Society: A Venture in Social Forecasting, New York, Basic Books.
Benner, Chris (2002), Work in the New Economy Flexible Labor Markets in Silicon Valley, Oxford, Blackwell.
Castells, Manuel (1996), The Information Age: Economy, Society and Culture, Oxford, Blackwell Publishers.
Clark, John (2003), Globalizing Civic Engagement, Civil Society and Transnational Action, London, Earthscan Publishers.
Costa, António Firmino da (2012), "Desigualdades globais", Sociologia, Problemas e Práticas, nº 68, pp. 9-32.
Eder, Klaus (1993), The New Politics of Class, London, Sage Publications.
Giddens, Anthony (1995), As Consequências da Modernidade, Oeiras, Celta Editora.
Graham, Stephen, e Simon Marvin (2001), Splintering Urbanism: Networked Infrastructures, Technological Mobilities and the Urban Condition, London, Routledge.
Inglehart, Ronald (1990), Culture Shift in Advanced Industrial Society, Princeton, Princeton University Press.
Katz, James E., e Ronald E. Price (2002), Social Consequences of Internet Use: Access, Involvement, and Interaction, Cambridge, MIT Press.
Latour, Bruno (1993), We Have Never Been Modern, Harvard, Harvard University Press.
Mouzelis, N. (1999), "Modernity: a non-european conceptualization", The British Journal of Sociology, pp. 141-159.
Noble, Carolyn (2004), "Postmodern thinking - where is it taking social work?", Journal of Social Work, 4(3), pp. 289-304.
Nye, Joseph S., e John D. Donahue (eds.) (2000), Governance in a Globalizing World, Washington, Brookings Institution Press.
Osborne, Stephen P. (ed.) (2008), The Third Sector in Europe - Prospects and Challenges, Routledge.
Parsons, Talcott (1971), The System of Modern Societies, Englewood Cliffs, New Jersey, Prentice-Hall.
Pierson, Paul (ed.) (2001), The New Politics of Welfare State, Oxford, Oxford University Press.
Polanyi, Karl (1980) A Grande Transformação: as Origens da Nossa Época, Rio de Janeiro, Edições Capus.
Price, Monroe (2002), Media & Sovereignty: the Global Information Revolution and its Challenge to State Power, Cambridge, MIT Press.
Reich, Robert (1996), O Trabalho das Nações: Preparando-nos para o Capitalismo do séc. XXI, Lisboa, Quetzal Editores.
Rodrigues, Eduardo Vítor (2010), "O Estado e as Políticas Sociais em Portugal", Sociologia: Revista do Departamento de Sociologia da FLUP, Vol. XX, pp. 191-230.
Schiller, Dan (1999), Digital Capitalism: Networking the Global Market System, Cambridge, MIT Press.
Schmidt, V. H. (2006), "Multiple modernities or varieties of modernity?", Current Sociology, 54 (1), pp. 77-97.
Servon, Lisa J. (2002), Bridging the Digital Divide: Technology, Community and Public Policy, Oxford, Blackwell.
Therborn, G. (1996), European Modernity and Beyond - The trajectory of European Societies 1945-2000, Sage Publisinhg.
Touraine, Alain (1970), A Sociedade Pós-Industrial, Lisboa, Moraes Editores.
United Nations Development Programme (2003), A World of Development. Annual Report 2003 (http://www.undp.org/annualreports/2003/english/)
Viegas, José Manuel Leite, Ana Maria Belchior e Filipa Seiceira (2010), "Mudanças e continuidades no modelo de participação política em Portugal. Análise comparada europeia", Perspectivas - Portuguese Journal of Political Science and International Relations, Número 5: Cidadãos, Parlamentos e Representação Política, Lisboa, NICPRI, Centro FCT, pp. 17-42
Wallerstein, Immanuel (1990), O Sistema Mundial Moderno, Porto, Edições Afrontamento.
Wieviorka, Michel (2003), "Os movimentos «antimundialização»", em José Rebelo (coord.), Novas Formas de Mobilização Popular, Porto, Campo das Letras.