Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  MES , MS

Sociologia do Desempenho Escolar (1 º Sem 2018/2019)

Código: 01047
Acrónimo: 01047
Nível: 2º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 20.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 21.0 h/sem 129.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2018/2019
Pré-requisitos Não tem.
Objectivos Constitui objectivo central desta unidade curricular promover o conhecimento sociológico da diversidade de trajectórias escolares e potenciar a capacidade analítica e reflexiva deste fenómeno social, recorrendo ao património científico da sociologia da educação.

Programa 1. Introdução: A Escola enquanto projeto da modernidade
2. A dimensão social do desempenho escolar
3. Teorias explicativas da seletividade social do sucesso escolar
4. Género e etnicidade na diferenciação dos trajetos escolares
5. Influência das condições e dos processos socioinstitucionais no desempenho escolar
6.Relação entre resultados escolares e ação das famílias e dos alunos
7. Condições e processos favoráveis ao sucesso escolar (síntese)
Processo de avaliação A avaliação consiste na prestação de provas em dois momentos diferenciados (avaliação periódica):
- Apresentação oral de materiais relacionados com as temáticas da UC (a acordar com a docente) ou Ficha de Leitura de texto da bibliografia básica (30%)
- Realização de um ensaio (exercício escrito e individual) (70%)
Deve corresponder ao desenvolvimento de um tema (com a concordância da docente), com inclusão de informação empírica relacionada. Dimensão máxima: 8 páginas (excluindo anexos).
Processo de ensino-aprendizagem A concretização dos objectivos da UC faz-se através de aulas teóricas, aulas teórico-práticas, orientação tutorial e através do trabalho pessoal dos mestrandos.O trabalho pessoal inclui: a) a participação nas aulas; b) a consulta da bibliografia de referência e pesquisa autónoma de bibliografia complementar; c) a apresentação oral de um livro/ texto/documento em aulas teórico-práticas e d) a realização de um trabalho escrito final.
Observações
Bibliografia básica Barrère, A. E N. Sembel (2006, 2002), Sociologia da Escola, S. Paulo, Ed. Loyola, pp. 15-37Bernstein, B. (1980), "Entrevista com Basil Bernstein" (dada a Elisabete Oliveira), O Professor, nº 25 (nova série), pp. 19-23
Bourdieu, P. e P. Champagne (1992), « Les exclus de l´interieur », Actes de la Recherche en Sciences Sociales, nº 91/92, pp. 71-75
Grácio, Sérgio (1997), Dinâmicas da Escolarização e das Oportunidades Individuais, Lisboa, Educa, pp. 49-66.
Gomes, Carlos A. (1987), "A interacção selectiva na escola de massas", Sociologia- Problemas e Práticas, nº 3, pp. 35-49
Seabra, Teresa (2010), Adaptação e Adversidade: o desempenho escolar dos alunos de origem indiana e cabo-verdiana no ensino básico, Lisboa, ICS-UL
Bibliografia complementar Alves, N. e R. Canário (2004), ?Escola e exclusão social: das promessas às incertezas?, Análise Social, vol. XXXVIII (169), pp. 981-1010.
Barrère, A. E N. Sembel (2006, 2002), Sociologia da Escola, S. Paulo, Ed. Loyola.
Benavente, Ana; Jean Campiche; Teresa Seabra e João Sebastião (1994), Renunciar à escola - o abandono escolar no ensino básico, Lisboa, Fim de Século.
Bourdieu, P. (1979), « Les trois états du capital culturel », Actes de la Recherche en Sciences Sociales, nº 30, pp. 3-6.
Bourdieu, P. e J.C. Passeron (s/d; 1970), A reprodução - elementos para uma teoria do sistema de ensino, Lisboa, Vega.
Cabral, M. V. (2002), ?Espaços e temporalidades sociais da educação em Portugal? em AA.VV., Espaços de educação, Tempos de formação, Lisboa, FCG, pp.47-67.
Canário, Rui, N. Alves e C. Rolo (2001), Escola e exclusão social, Lisboa, IIE/Educa.
Charlot, B., É. Bautier e J.Y. Rochex, (1993), École et savoirs en banlieue et ailleurs, Paris, A. Colin.
Casa Nova, Maria José (2001), Etnicidade, Género e Escolaridade ? estudo em torno das socializações familiares de género numa comunidade cigana da cidade do Porto, Lisboa, IIE.
Derouet, Jean-Louis (dir.) (2003), Le collège unique en question, Paris, Puf.
Domingos, Ana M.; Helena Barradas; Helena Rainha; Isabel P. Neves (1986), A teoria de Bernstein em Sociologia da Educação, Lisboa, FCG.
Duarte, José B. (org.) (2002), Igualdade e Diferença numa Escola para Todos ? Contextos, Controvérsias, Perspectivas, Lisboa: Edições Universitárias Lusófonas.
Dubet, F.  e Martuccelli, D. (1996), A l´école - sociologie de l´experience scolaire, Paris, Ed. Du Seuil.
Duru-Bellat, Marie e A. Henriot-Van Zanten (1992), Sociologie de L´école, Paris, Armand Colin.
Education et Societé, nº 5, 2000/01 (Les inégalités d´éducation: un classique revisité).
Education et Societé, nº14, 2004/05 (Les classes moyennes, l´école et la ville: la reproduction renouvelée).
Enguita, M., L. Mena y J. Rivière (2010) : Fracaso y el abandono escolar en España, Fundación « La Caixa », colección Estudios Sociales, http://obrasocial.lacaixa.es/estudiossociales/coleccion_es.html
Enguita, Mariano F. e F. Sánchez (eds.) (1999), Sociologia de la Education, Barcelona, Editorial Ariel.
Forquin, Jean-Claude (1997), Les sociologues de l´´education américains et britanniques : Présentation et choix de textes, Bruxelas, INRP/DeBoeck Université.
Grácio, Sérgio (1997), Dinâmicas da Escolarização e das Oportunidades Individuais, Lisboa, Educa.
Grácio, Sérgio, S. Miranda e Stephen Stoer (Org.) (1982), Sociologia da Educação I - Funções Da Escola E Reprodução Social, Lisboa, Liv.Horizonte.
Grácio, Sérgio e S. Stoer (Org.) (1982), Sociologia da Educação II - A construção social das práticas educativas, Lisboa, Liv.Horizonte.
Haecht, A. Van (2001), L´école des inégalités, Bruxelas, Ed. Talus d´approche.
Kellerhals, J. e C. Montandon (1991), Les stratégies éducatives des familles ? milieu social, dynamique familial et éducation des pré-adolescents, Lausanne, Delachaux et Niestle.
Lahire, Bernard (2008), La raison scolaire ? École et pratiques d´écriture, entre savoir et pouvoir, Rennes, PUR.
Laurens, J.P.(1992), 1 sur 500, la reussite scolaire en milieu populaire, Toulose, Press Universitaire du Mirail.
Lopes, João Teixeira (1996), Tristes escolas - práticas culturais estudantis no espaço escolar urbano, Porto, Afrontamento.
Mateus, Sandra (2002), ?Futuros Prováveis: um olhar sociológico sobre os projectos de futuro no 9º ano?, Sociologia, Problemas e Práticas, 39, 117-149.
Matos, M. e I. Duarte (2003), Identificação dos Riscos Educativos no Ensino Básico, Lisboa, CNE.
Mónica, Mª Filomena (org.) (1981), Escola e classes sociais, Lisboa, GIS/Ed. Presença.
Pinto, J. Madureira (1990), ?Escolarização, relação com o trabalho e práticas sociais? em S. Stoer (org.), Educação, Ciências Sociais e Sociedade Portuguesa, Porto, Afrontamento, pp. 15-32.
Sarmento, Manuel Jacinto (2000), Lógicas de acção nas escolas, Lisboa, Instituto de Inovação Educacional.
Seabra, Teresa, Sandra Mateus, Elisabete Rodrigues e Magda Nico (2011),
Trajectos e Projectos de Jovens Descendentes de Imigrantes à Saída da
Escolaridade Básica, Lisboa, Alto-Comissariado para a Imigração e Diálogo
Intercultural, IP.
Seabra, Teresa (2009), ?Desigualdades sociais e escolares?, Sociologia, Problemas e Práticas, nº 59, pp. 75-106.
Seabra, Teresa (2008), Desempenho Escolar, Desigualdades Sociais e Etnicidade: Os descendentes de imigrantes indianos e cabo-verdianos no ensino básico em Portugal, Lisboa/ISCTE (Tese de doutoramento).
Seabra, Teresa e Sandra Mateus (2008), ?Imigração e escolaridade: trajectórias, quotidiano e aspirações?, em Guerreiro, Maria das Dores, Anália Cardoso Torres e Luís Capucha (org.), Quotidiano e Qualidade de Vida, em Portugal e a Europa: Sociedade, Estado, Quotidiano, Volume III, Lisboa, CIES-ISCTE e Celta.
Seabra, Teresa (2007), "Relações das famílias com a escolaridade e resultados escolares: comparando alunos de origem cabo-verdiana, de origem indiana e autóctones", em P. Silva (org.), Escolas, Famílias e Lares: Um caleidoscópio de olhares, Lisboa, Profedições
Seabra, Teresa e Sandra Mateus (2007), ?Imigração e Escolaridade: trajectórias, quotidiano e aspirações?, em Guerreiro, Maria das Dores, Anália Cardoso Torres e Luís Capucha (org.), Quotidiano e Qualidade de Vida, em Portugal e a Europa: Sociedade, Estado, Quotidiano, Volume III, Lisboa, CIES-ISCTE e Celta.
Silva, Cristina Gomes da (1999), Escolhas Escolares, Heranças Sociais, Oeiras, Celta.
Terrail, Jean-Pierre (2002), De l´inegalité scolaire, Paris, La Dispute.
Torres, Jurgo S. (1995), O curriculum oculto, Porto, Porto Editora.
Vincent, G., B. Lahire e D. Thin (1994), « Sur l´histoire et la théorie de la forme scolaire » em G. Vincent (dir.), L´éducation prisonnière de la forme scolaire? ? scolarisation et socialisation dans les sociétés industrielles, Lyon, PUL, pp.11-48.
Zanten, Agnès van (dir.) (2000), L´École: L´État des Savoirs, Paris, Ed. La Découverte