Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  LA

Marginalidade, Dependência e Comportamentos de Risco (1 º Sem 2018/2019)

Objectivos

Marginalidade, Dependência e Comportamentos de Risco

Licenciatura em Antropologia

Objectivos Gerais

Ao pensar sobre doença deparamo-nos com uma categoria que é puramente objectiva, inscrita no ramo da medicina convencional enquanto patologia e, em simultâneo, com o domínio do subjectivo, em que se inscreve a pessoa enquanto doente. Esta disciplina discute e questiona alguns pressupostos comummente associados ao consumo de drogas e a práticas sexuais, nomeadamente no que diz respeito a comportamentos de risco e à vivência do estigma. Numa perspectiva história e contextualmente diversificada estimula-se a compreensão crítica das dimensões subjacentes ao discurso, prática e percursos de portadores de doenças como Stress Pós-Traumático, Hepatite, HIV, toxicodependência ou alcoolismo, enfatizando as implicações familiares, profissionais e afectivas da sua condição. Procurando ir mais longe nesta discussão, analisar-se-ão ainda estratégias de socialidade e pertença emergentes, considerando comunidades que, de forma mais ou menos invisível,reconstituem e reconfiguram a marginalidade.