Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  MPP , PGPPSD

Planeamento de Políticas Públicas (1 º Sem 2018/2019)

Código: 01710
Acrónimo: 01710
Nível: 2º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 20.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 21.0 h/sem 129.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2017/2018
Pré-requisitos Não se aplica.
Objectivos A disciplina Planeamento de Políticas Públicas visa introduzir o aluno nas metodologias e práticas de planeamento estratégico e prospectivo em diversos contextos da intervenção pública.
Programa CP 1. PLANEAMENTO E POLÍTICAS PÚBLICAS
1.1. Conceitos de planeamento
1.2. Planeamento como intervenção para a mudança
1.3. O processo de planeamento e o ciclo de programação de políticas públicas
1.4. As escalas de decisão e articulação em planeamento

CP 2. AS TEORIAS DA PROGRAMAÇÃO E OS MODELOS LÓGICOS
2.1. Conceitos básicos na teoria da programação
2.2. A origem das teorias da programação
2.3. Os modelos lógicos como instrumentos de apoio ao planeamento

CP 3. MÉTODOS E TÉCNICAS DE PLANEAMENTO
3.1. Nível estratégico
3.1.1. O diagnóstico no processo de planeamento
3.1.2. O pré-diagnóstico
3.1.3. A Elaboração do Diagnóstico
3.1.4. Análise SWOT
3.1.5. A Definição de Prioridades
3.1.6. Os Objectivos
3.1.7. Identificação e captação de recursos
3.2. Nível táctico
3.2.1. O Plano de Acção
3.2.2. Conteúdo programático das medidas/acções
3.3. Nível operacional
Processo de avaliação A avaliação desta unidade curricular Planeamento de Políticas Públicas é realizada ao longo do período lectivo, através de um trabalhos em grupo realizado em duas fases. A nota final será obtida com recurso à seguinte ponderação:
- Fase 1 - 40% da nota final;
- Fase 2 - 60% da nota final.

Processo de ensino-aprendizagem Assenta na combinação de: ME1 - aulas teórico-práticas de enquadramento das matérias, para aquisição de conhecimentos teóricos e metodológicos; ME2 - aulas práticas de realização de exercícios, para aquisição de conhecimentos técnico-operativos. Estas aulas práticas consistem na aplicação dos conhecimentos adquiridos sobre metodologias de planeamento na resolução e análise crítica de exemplos de intervenção concretos.
Observações
Bibliografia básica ALTSCHULD, James e KUMAR, David (2010), Needs assessment: an overview, Sage, Thousand Oaks.
CALLEY, Nancy G. (2011), Program development in the 21st Century: an evidence-based approach to design, implementation and evaluation, Sage, Thousand Oaks.
FRENCHTLING, J. (2007), Logic modeling methods in program evaluation, Jossey-Bass, San Francisco.
FUNNELL, S. e ROGERS, P. (2011), Purposeful program theory: effective use of theories of change and logic models, Jossey-Bass, San Francisco.
KETTNER, Peter M. , MORONEY, Robert M. e MARTIN, Lawrence L. (2012), Designing and managing programs: an effectiveness-based approach, Sage, Thousand Oaks.  
KNOWLTON, L. e PHILLIPS, C. (2009), The logic model guidebook, Sage, Thousand Oaks.
MINZTBERG, Henry (2004), Grandeur et décadence de la planification stratégique, Dunod, Paris.
SORIANO, Fernando I. (2013), Conducting needs assessments: a multidisciplinary approach, second edition, Sage, Thousand Oaks.
Bibliografia complementar BAMBERGER, M. J., RUGH, J. e MABRY, L. (2006), RealWorld evaluation. Working under budget, time, data and political constrains, Sage, London.
BAMBERGER, Michael (eds.) (2000), Integrating quantitative and qualitative research in development projects, The World Bank, Washington.
BARBIER, René (1996),  La recherche action, Anthropos, Paris.
BARBIER, Jean-Marie (1996), Elaboração de projectos de acção e de planificação, Porto Editora, Porto.
CALDAS, José Maria e PERESTRELO, Margarida (1998), Instrumentos de análise para o método dos cenários: I - Análise estrutural, Documento de Trabalho de DINÂMIA ? WP98/09, Novembro de 1998.
CASTRO CALDAS, José Maria (2001), Escolha e instituições: análise económica e simulação multiagentes, Celta Editora, Oeiras.
COMISSÃO EUROPEIA (1999), Evaluating socio economic development, Serviço das Publicações Oficiais das Comunidades Europeias, Luxemburgo.
COMISSÃO EUROPEIA (2003), Means collection: evaluating socio economic programmes ? the guide, sl.
DE COURSON, Jacques (1999), La prospective des territoires, concepts, méthodes, résultats, Éditions CERTU, Paris.
DGOTDU (1996), Guia para a Elaboração de Planos Estratégicos de Cidades Médias, DGOTDU, Lisboa.
ECKERT, Denis (1996), Évaluation et prospective des territoires, GIP RECLUS ? La Documentation Française, Paris.
FISCHER, Franc e FORESTER, John (eds.) (1993), The argumentative turn in policy analysis and planning, UCL Press, Londres.
FORESTER, John (1993), Critical theory, public policy and planning practice, State University of New York Press, Albany.
FRIEDMAN, John (1987), Planning in public domain: from knowledge to action, Princeton University Press, New Jersey.
GABINA, Juanjo; (1998), Prospectiva y Ordenación del Território, Marcombo Boixareu Editores, Barcelona
GODET, M (1991), Prospectiva e Planificación Estratégica, S. G. Editores, Barcelona
GODET, Michel (1993), Manual de prospectiva estratégica, da antecipação à acção, Publicações D. Quixote, Lisboa.
GODET, Michele DURANCE, Philippe (2008), La prospective stratégique : pour les entreprises et les territoires, Dunod, Paris.
GOUX-BAUDIMENT, Fabienne (2000), Donner du futur aux territoires, Éditions CERTU, Paris.
GUERRA, Isabel (2007), Fundamentos e processos de uma sociologia de acção: o planeamento em ciências sociais, 2.ª Ed., Princípia, Cascais.
GUERRA, Isabel (2006), Participação e Acção Colectiva - Interesses, conflitos e consensos, Princípia, Cascais.
HATEM, Fabrice (1996), Introdution à la prospective, Economia, Paris.
HILL, Manuela e HILL, Andrew (1998), A construção de um questionário, Documento de Trabalho de DINÂMIA ? WP98/11, Outubro de 1998.
IMPERATORI, Emílio e GIRALDES, Mª Rosário (1993), Metodologia do Planeamento da Saúde, Escola Nacional de Saúde Pública, 3.ª Ed., Lisboa
JOUVENEL, Hughes (1999), La démarche prospective. Un bref guide méthodologique, Futuribles, n.º 247, pp.  47-67.
LEMAIGNAN, C. e DOMERGE, J. (1991), Développer une réflexion prospective en région, Aditech, Paris.
MAYER, Robert (et. al.)(2000), Méthodes de recherche en intervention sociale, Gaëtan Morin Éditeur, Boucherville.    
NEVES, António (1996), Planeamento Estratégico e Ciclo de Vida das Grandes Cidades, Celta, Oeiras.
NORAD (1999), The logical framework approach: handbook for objectives-oriented planning, 4.ª Ed., NORAD, Oslo.
PERESTRELO, Margarida (2002), Planeamento Estratégico e Avaliação: Metodologias de Análise Prospectiva, Cidades ? Comunidades e Territórios, nº 4, CET/ISCTE, pp. 33-43.
PERESTRELO, Margarida e CALDAS, José (1996), Estratégia de actores: prospectiva e avaliação, Sociologia ? Problemas e Práticas, n.º 22, pp. 81-94.
PERESTRELO, Margarida e CALDAS, José Maria (2000), Instrumentos de análise para o método dos cenários: II ? Estratégia de actores, Documento de Trabalho de DINÂMIA ? WP2000/17, Março de 2000.
RIETBERGEN-MCCRACKEN, Jennifer e NARAYAN, Deepa (eds.)(1998), Participation and social assessment: tools and techniques, The World Bank, Washington.
RODRIGUES, Walter (2005), Planeamento e Governança Territorial: uma Reflexão Sociológica a Partir do Terreno, Cidades ? Comunidades e Territórios, nº 10, CET/ISCTE, pp. 25-34.
SCHIEFER, Ulrich (et. al.) (2006), MAPA ? Manual de planeamento e avaliação de projectos, Princípia, Cascais.
WANDERSMAN, Abraham (et. al.) (1990), Getting to outcomes: methods and tools for planning, self-evaluation and accountability, CSAP, Rochville.
WITKIN, Belle e ALTSHULD, James (1996), Planning and conducting needs assessments: a practical guide, Sage, Londres