Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  MEAS

Cultura e Meio Ambiente (1 º Sem 2018/2019)

Código: 02018
Acrónimo: 02018
Nível: 2º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 14.0 h/sem 0.0 h/sem 6.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 21.0 h/sem 129.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2013/2014
Pré-requisitos não se aplica
Objectivos Esta unidade curricular visa introduzir os estudantes às  perspectivas da Antropologia Social e Cultural em torno das questões ambientais, com destaque para a reflexão teórica e epistemológica decorrente de uma avaliação das consequências do fim da distinção ontológica entre seres humanos e natureza e, também, para as vertentes da reflexão disciplinar mais "implicada" em termos de ecologia política.
Programa P1. O paradigma ecológico em Antropologia
P1.1. Os clássicos
P1.2. De Bateson a Ingold
P1.3. A perspetiva  fenomenológica
P2. A inserção ambiental das relações sociais
P2.1. Tecnologia, cultura, ergologia
P2.2. Paisagem, turismo, património
P2.3. Risco, incerteza e resiliência
P3. Os saberes locais
P3.1. Recursos comuns
P3.2. Etnobiologias e ontologias indígenas
Processo de avaliação a) Presença e participação assídua nas aulas bem como a apresentação oral e escrita da reflexão em torno dos conteúdos propostos e apresentação oral em seminários; qualidade geral das intervenções e participação nas aulas (40%)
b) Ensaio (60%)
c) Estudantes com défice de tempo trabalho lectivo (faltas, incumprimento, etc.)ou trabalhos escritos insuficientes deverão fazer um teste complementar (ponderando trabalho e teste 30% cada).
Processo de ensino-aprendizagem 8 aulas expositivas seguidas por sessões dedicadas à apresentação de trabalho individual e registo de comentários e debate; e 2 aulas de debate alargado. Espera-se assíduidade e leitura regular e atempada da bibliografia da UC.
Observações -
Bibliografia básica Abram, David, 2007 - A Magia do Sensível. Percepção e Linguagem num mundo mais do que humano, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa.

Berkes, Fikret, 2008, Sacred Ecology (1999), Routledge, NY, London.

Castro, Eduardo Viveiros de, 1996, "Os pronomes cosmológicos e o perspetivismo  ameríndio", Mana 2(2): 115-144.

Dove, Michael, 1993, "Uncertainty, Humility, and Adaptation in the Tropical Forest: the Agricultural Augury of the Kantu", Ethnology, vol. XXXII, n.º 2, University of Pittsburgh: 145¬ 167.

Hornborg, Alf, 2006, "Animism, Fetishism, and Objectivism as Strategies for Knowing (or not Knowing) the World", Ethnos, vol. 71:1, march 2006: 21?32.

Ingold, Tim, 2000, The Perception of the Environment. Essays on Livelihood, Dwelling and Skill, Routledge, London and New York.

Selin, Helaine (editor), 2003, Nature Across Cultures. Views of Nature and the Environmente in Non-Western Cultures. Kluwer Academic Press, Dordrecht, Boston, London.
Bibliografia complementar A definir de acordo com os projectos dos estudantes