Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  LCP

Laboratório de Política Comparada (2 º Sem 2018/2019)

Código: 02032
Acrónimo: 02032
Nível: 1º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 0.0 h/sem 36.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 37.0 h/sem 113.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2017/2018
Pré-requisitos não tem.
Objectivos A política comparada é um campo central na Ciência Política. Para o desenvolvimento de análises científicas em política comparada, o método comparativo é uma ferramenta central: fornece um conjunto de regras e padrões de actuação que pretendem assegurar que o desenho da pesquisa é rigorosamente delineado de molde a que a produção dos dados e as inferências baseadas na evidência empírica sejam feitas segundo elevados padrões que assegurem a sua validade e reprodutibilidade.
Pretende-se com esta cadeira, primeiro, fornecer os conhecimentos básicos fundamentais sobre o que é e como se implementa o método comparativo em Ciência Política. Segundo, fornecer uma panorâmica geral sobre os principais debates e controvérsias que existem na disciplina em torno do método comparativo.
Programa I. I - O processo de investigação em política comparada
II. II - As teorias, os métodos e o desenho da pesquisa
III. III - Teorias, hipóteses, operacionalização e medição
IV. IV - Fontes e dados em política comparada
V. V - A selecção dos casos e os possíveis enviesamentos
VI. VI - Testes de hipóteses, inferências causais e os
VII. problemas associados ao pequeno N
VII - Tempo e investigação comparativa
Processo de avaliação 1. Assiduidade e participação nas aulas (20% da média final).
2. Duas exposições orais (25%: 12,5% cada) de textos (um teórico e um exemplo de pesquisa).
3. Elaboração das tarefas relacionadas com a elaboração do trabalho de pesquisa: 2 relatórios de progresso (10%).
4. organizados em grupos, os discentes terão de estruturar uma pesquisa empírica comparativa baseada em dados secundários (45%).
5. Exame para os que não cumprem requisitos da avaliação contínua.

Processo de ensino-aprendizagem As aulas consistem sobretudo em trabalho de investigação orientado pelo docente (aulas laboratoriais) e em discussão e apresentação de trabalhos pelos alunos (seminários). Haverá também aulas de exposição da matéria pelo docente (aulas teóricas e teórico-práticas).
Observações Os computadores portáteis são os ÚNICOS
instrumentos eletrónicos aprovados para uso nas aulas (e mesmo assim só mesmo na primeira filas, e apenas para tirar notas, não para surfar na internet durante as aulas). Os telefones celulares e outros instrumentos desse tipo (como por
exemplo para se ouvir música) devem estar sempre desligados durante as aulas (e as mensagens de texto também estão proibidas durante as aulas).
As aulas começam rigorosamente à hora marcada, havendo apenas uma tolerância de 10 minutos para se poder entrar na primeira sessão, e nenhuma tolerância para entrar além da hora marcada na segunda sessão. Portanto, os alunos não serão autorizados a entrar depois da hora estipulada.

Professor:
André Freire, Professor Associado com Agregação - coordenador da UC.

«Teaching Assistants» (Bolseiros DCP).
Bibliografia básica Dogan, Mattei, e Dominique Pelassy (1990, 1984), How to Compare Nations.
Strategies in Comparative Politics, New Jersey, Chatham House Publishers.
Evera, Stephen van (1997), Guide to Methods of Students of Political Science, Ithaca, Cornell University
             Press.
Porta, Donatella della, e Keating (editors) (2008), Approaches and Methodologies in the Social Sciences.
             A Pluralist Perspective, Cambridge University Press
Geddes, Barbara (2007), Paradigms and Sand Castles. Theory Building and Research Design in    
            Comparative Politics, Ann Arbor, Michigan University Press.
Landman, Todd (2003), Issues and Methods in Comparative Politics. An
Introduction, Londres, Routledge.
Peters, Guy B. (1998), Comparative Politics. Theory and Methods, Nova Iorque,
New York University Press.
Bibliografia complementar 1. Leituras obrigatórias / Mandatory readings

Laboratório de Política Comparada - Textos de Leitura obrigatória: Teórico- metodológicos (T) e Textos de Análise empírica (TD).

Textos teórico-metodológicos (T):

T-1 - Porta, Donatella della (2008), «Comparative analysis: case-oriented variable-oriented research», in Porta, Donatella della, e Keating (editors), Approaches and Methodologies in the Social Sciences. A Pluralist Perspective, Cambridge University Press, pp. 198-222.
T-2 - Lijphart, Arend (1975), "The comparable cases strategy in comparative research", Comparative Political Studies, 8 (2), pp. 158-177.
T- 3 - Schmitter, Philippe (2008), «The design of social and political research», in Porta, Donatella della, e Keating (editors), Approaches and Methodologies in the Social Sciences. A Pluralist Perspective, Cambridge University Press, pp. 263-295.
T- 4 - Geddes, Barbara (2007), "How the cases you choose affect the answers you get: selection bias and related issues", Paradigms and Sand Castles. Theory Building and Research Design in Comparative Politics, Ann Arbor, Michigan Univ. Press, pp. 89-130.
T- 5 - Perea, Eva Anduiza, e Crespo, Ismael, e Lago, Mónica Méndez (1999), "La contrastación de hipótesis", Metodolgía de la Ciencia Política, Madrid, CIS, CM 28, pp. 105-124.  

Textos exemplificativos de pesquisas empíricas (TD) / Examples of comparative research (TD):
TD-1 - Estudo de caso / Case study
Michael Baum & Ana Espírito-Santo (2012), «Portugal's Quota-Parity
Law: An Analysis of its Adoption», West European Politics, Vol. 35, Nº 2, pp. 319-342.
TD - 2 - Estudo de caso comparados com enquadramento comparativo / Case Study with comparative framing
Freire, André, & Meirinho, Manuel (2012), "Institutional reform in Portugal: From the perspective of deputies and voters perspectives", Pôle Sud - Revue de Science Politique, Nº 36, 2012/1, pp. 107-125.
TD - 3 - Estudo comparativo descritivo - explicativo / Descriptive & explanatory comparative study
March, Luke, e Freire, André (2012), «O potencial de coligação da esquerda radical portuguesa em perspetiva comparada», A Esquerda Radical em Portugal e na Europa: Marxismo, Mainstream ou Marginalidade?, Porto, Quid Novi, pp. 201-233.
TD - 4 - Estudo comparativo com dados agregados / comparative study with macro data
Matt Golder (2003), «Explaining variation of the success of extreme right parties in Western Europe», Comparative Political Studies, Vol. 36, Nº 4, pp. 432-466.
TD - 5 - Estudo comparativo longitudinal com dados individuais (II) / comparative longitudinal study with micro data (II)
Joost Van Spanje & Wouter Van Der Brug (2007), «The Party as Pariah: The Exclusion of Anti-Immigration Parties and its Effect on their Ideological Positions», West European Politics, Vol. 30, Nº 5, pp. 1022-1040.
TD- 6 - Estudo comparativo com análise multinível  7 Comparative Multi-level study
Freire, André (2015), "Left-Right Ideology as a Dimension of Identification and as a Dimension of Competition", Journal of Political Ideologies, January, Volume 20, Nº1, pp. 1-26, http://dx.doi.org/10.1080/13569317.2015.991493
TD- 7 - Estudo comparativo longitudinal com dados ao nível macro / comparative longitudinal study with macro data
Mikko Matilla e Tapio Raunio (2002), «Government formation in the Nordic countries: the Electoral connection», Scandinavian Political Studies, Vol. 25, Nº 3, pp. 259-280.






2. Leituras complementares / Complementary readings


Alexander, Gerard (2001), "Institutions, path dependance, and democratic
consolidation", Journal of Theoretical Politics, 13 (3), pp. 249-269.
Alonso, Sonia, Volkens, Andrea, Gómez, Braulio (2012), Análisis de conteniido de textos políticos. Un enfoque
               quantitativo, Madrid, CIS, Cuadernos Metodolóigicos, nº 47.
Boix, Carles, e Stokes, Susan (editors) (2007), The Oxford Handbook of
Comparative Politics, Oxford, Oxford University Press.
Caïs, Jordi (1997), Metodología del análisis comparativo, Cuadernos
Metodológicos, 21, Madrid, CIS.  
Collier, David, e Mahon Jr., James E. (1993), "Conceptual stretching revisited:
Adapting categories in comparative analysis", American Political Science Review, 1987, pp. 845-855.
Caul, Miki (1999), «Women's representation in Parliament», Party Politics, 5 (1), pp. 79-98.  
D'Ancona, M. (1996), Metodología quantitativa. Estrategias y técnicas de
investigación social, Madrid, Síntesis, pp. 81-122.  
Evera, Stephen van (1997), Guide to Methods of Students of Political Science, Ithaca, Cornell University Press, pp. 7-40
Fernandes, Tiago (2007), "Authoritarian Regimes and Pro-Democracy Semi-
Oppositions: The End of the Portuguese Dictatorship (1968-1974) in Comparative Perspective", Democratization, 14 (4), pp. 686 - 705.
Freire, André (2006), "Left-Right Ideological Identities in New Democracies:
Greece, Portugal and Spain in the Western European Context", Pôle Sud - Revue de Science Politique de l'Europe Méridionale, nº 25, II 2006, pp. 153-173.
Freire, André (2007), "Trazendo as identidades sociais de volta ao debate. As
         Âncoras sociais da divisão esquerda-direita na Europa Ocidental", in Freire, André, M. C. Lobo e P.          Magalhães (editores), Eleições e Cultura Política: Portugal no Contexto Europeu, Lisboa, Imprensa de Ciências Sociais, ICS. (ENGLISH VERSION: Freire, André (2006), "Bringing Social Identities Back In: The Social Anchors of Left-Right Orientation in Western Europe", International Political Science Review, 27 (4), 359-378.)
Freire, André (editor) (2011), Eleições e Sistemas Eleitorais no século XX Português: Um Balanço
      Histórico e Comparativo, Lisboa, Colibri.
Freire, André (editor) (2012), O Sistema Político Português, séculos XIX-XXI: Continuidades e Ruturas, Coimbra,
      Almedina.
Gerring, John (2007), "The case study: what it is and what it does", in
Boix, Carles, e Stokes, Susan (editors), The Oxford Handbook of Comparative Politics, Oxford, Oxford University Press, pp. 90-122.
King, G., et al (2000, 1994), El Diseño de la Investigación Social. La Inferencia
Científica en los Estudios Cualitativos, Madrid, Alianza Editorial.  
Lieberson, Stanley (1991), "Small N's and big conclusions. An examination of
the reasoning in comparative case studies based on a small number of cases", Social Forces, 70 (2), pp. 307-320.
Lieberman, Evan S. (2001), "Causal inferences in historical institutional
analysis. A specification of periodization strategies", Comparative Political Studies, 34 (9), pp. 1011-1035.  
Lijphart, Arend (1971), "Comparative politics and the comparative method", American Political Science Review, LXV, pp. 682-693.
Manheim, J., Rich, R. (1988), Análisis político empírico. Métodos de
investigación en ciencia política, Madrid, Alianza, 1988, pp. 281-306
Pennings, P., Keman, H., e Kleinnijenhuis, J. (1999), Doing Research in
Political Science. An Introduction to Comparative Methods and Statistics, London, Sage.
Pestana, Maria H., e João N. Gageiro (1998), Análise de Dados para as
Ciências Sociais. A Complementaridade do SPSS, Lisboa, Edições Sílado.
Perea, Eva Anduiza, e Crespo, Ismael, e Lago, Mónica Méndez (1999),
Metodología de la Ciencia Política, Madrid, CIS, CM 28.
Przeworski, Adam, e Henry Teune (1970), The Logic of Comparative Social
Inquiry, Nova Iorque, Wiley-Interscience.
Ragin, Charles C. (1989, 1987), The Comparative Method. Moving Beyond
Qualitative and Quantitative Strategies, Berkley, University of California Press.
Schriewer, Jürgen, e Kaelbe, Hartmut (2010), La comparación en las ciencias
socials e históricas - un debate interdisciplinar, Barcelona, Octaedro  / ICE-UB.
Shanto Iyengar, Mark D. Peters, Donald R. Kinder (1982), «Experimental Demonstrations of the "Not-
So-Minimal" Consequences of Television News Programs», The American Political Science Review, Vol. 76, No. 4, pp. 848-858
Skocpol, Theda (1985, 1979), "Introdução" e "Conclusão", Estados e
Revoluções Sociais. Análise Comparativa da França, Rússia e China, Lisboa, Presença, pp. 15-27 e 45-55 e 297-306..
Skocpol, Theda, e Somers, Margaret (1980), "The uses of comparative history in macrosocial inquiry",
Comparative Studies in Society and History, 22, pp. 174-197.
Valles, Miguel S. (2000), "Diseños y estrategias metodológicas en los estúdios caulitativos", Técnicas Caulitativas de
Investigación Social, Madrid, Sintesis, pp. 69-108.