Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  EI

Ecrãs e Leitura Digital (2 º Sem 2017/2018)

Código: 02053
Acrónimo: 02053
Nível: 2º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Inglês, Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 20.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 21.0 h/sem 129.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2017/2018
Pré-requisitos Não se aplica
Objectivos A UC Ecrãs e Leitura Digital tem como principal objectivo compreender o fenómeno leitura digital e o seu impacto no consumo e práticas de leitura, bem como no sector editorial. De modo a incentivar o desenvolvimento de pensamento crítico relativamente à leitura digital, a UC será organizada em torno de três grandes áreas: ecologia da leitura digital, novas práticas de leitura e impacto da leitura digital no sector editorial.
No final desta UC espera-se que os alunos tenham desenvolvido as seguintes competências:
? Mapear o fenómeno leitura digital
? Caracterizar as diferentes plataformas de leitura digital
? Compreender as novas práticas de leitura
? Compreender e enquadrar os principais desafios jurídicos no âmbito da leitura digital
? Ser capaz de analisar o impacto da leitura digital no sector do livro
? Compreender as principais estratégias de edição digital
? Reflectir sobre a relação que se estabelece entre leitura digital e novas literacias
Programa 1. O conceito de Leitura Digital
2. A ecologia da Leitura digital
3. Plataformas de Leitura Digital
4. Práticas de leitura: Consumo e práticas
5. Locais e espaços de leitura digital
6. Políticas de incentivo e desafios jurídicos
7. A leitura digital no contexto editorial
8. Estratégias de Edição Digital
9. A transformação do sector do livro
10. Novas Literacias
Processo de avaliação 1. Trabalho de grupo. Relatório de 5 a 7 páginas sobre uma boa prática de edição ou projectos de incentivo à leitura digital.
2. Trabalho escrito individual. Os alunos deverão escrever um ensaio de 15 a 20 páginas, resultante de trabalho de investigação empírica, sobre um dos temas discutidos nas aulas.
Processo de ensino-aprendizagem Exploração teórica-prática dos conceitos complementada. Análise e discussão de textos considerados basilares para o entendimento da leitura digital. Os alunos serão, ainda, encorajados a experimentar diferentes tipos de plataformas, formatos e conteúdos.
Observações
Bibliografia básica Birkerts, S. (2006). The Gutenberg Elegies: The Fate of Reading in an Electronic Age. New York: Faber & Faber [1994].
Bolter, J. D. e R. Grusin (2000). Remediation: Understanding New Media. Cambridge (MA): MIT Press.
Furtado, J. A. (2009). A Edição de Livros e a Gestão Estratégica. Lisboa: Booktailors.
Gomez, J. (2008). Print Is Dead: Books in Our Digital Age. New York: Macmillan.
Logan, R. (1987). The Alphabet Effect: The Impact of the Phonetic Alphabet on the Development of Western Civilization. Toronto: St. Martin Press.
McLuhan, M. (2011 ) The Gutenberg Galaxy. Toronto: University of Toronto Press.
Nunberg, G. (1996). The Future of the Book. Berkeley e Los Angeles: University of California Press.
Thompson, J.B. (2005). Books in the Digital Age: The Transformation of Academic and Higher Education Publishing in Britain and the United States. Londres: Polity
Thompson, J.B. (2010). Merchants of Culture. Londres: Polity
Bibliografia complementar Bolter, J.D. (2001). Writing space: Computers, hypertext, and the remediation of print. Mahwah (NJ) e Londres: Lawrence Erlbaum Associates (2ª Ed.).
Cull, B. W. (2011). ?Reading revolutions: Online digital text and implications for reading in academe?. First Monday, 16 (6). Disponível em: http://firstmonday.org/htbin/cgiwrap/bin/ojs/index.php/fm/article/viewArticle/3340/2985.
Darnton, R. (2010). The Case for Books: Past, Present, and Future. Nova Iorque: PublicAffairs.
Furtado, J. A. (1999). ?As bibliotecas públicas, as suas missões e os novos recursos de informação?. Liberpolis, 2.
Furtado, J. A. (2004). ?Metamorfoses da Edição na Era Digital?. Artigo apresentado no I Seminário Brasileiro sobre Livro e História Editorial, Rio de Janeiro.
Furtado, J. A. (2006). ?Livro e leitura no novo ambiente digital?. In Pombo et al. Enciclopédia e Hipertexto. Lisboa: Editora Duarte Reis.
Furtado, J. A. (2007). ?Fractura digital e literacia: Reequacionar as questões do acesso?. Comunicação & Cultura, 3, pp. 97-111.
Furtado, J. A. (2010). ?Hipertexto revisited?. Letras de Hoje, 45 (2), pp. 31-55.
Howard, N. (2009). The Book: The Life Story of a Technology. Westport (Co.) e Londres: Greenwood Press.
Jenkins, H. (2006). Convergence Culture. Nova Iorque e Londres: New York University Press.
Lessig, L. (2004). Free Culture: The Nature and Future of Creativity. Nova Iorque: Penguin Books.
Lessig, L. (2006). Code ? Version 2.0. Nova Iorque: Basic Books.
Liu, Z. (2005). ?Reading behavior in the digital environment: Changes in reading behavior over the past ten years?. Journal of Documentation, 61(6), 700?712.
Liu, Z. (2006). ?Print vs. Electronic Resources: A Study of User Perceptions, Preferences, and Use?. Information
Lynch, C. (2001). ?The Battle to Define the Future of the Book in the Digital World?. First Monday, 6 (6). Disponível em: http://firstmonday.org/htbin/cgiwrap/bin/ojs/index.php/fm/rt/printerFriendly/864/773.
Mangen, A. (2008). ?Hypertext Fiction Reading: Haptics and Immersion?. Journal of Research in Reading, 31 (4), pp. 404-419.
Mangen, A. and J.-L. Velay (2010). ?Digitizing Literacy: Reflections on the Haptics of Writing?. In Mehrdad Hosseini Zadeh (Ed.). Advances in Haptics. InTech, Disponível em: http://www.intechopen.com/articles/show/title/digitizing-literacy-reflections-on-the-haptics-of-writing
Manguel, A. (1999). Uma História da Leitura. Lisboa: Editorial Presença.
Martins, J. M. (1999). Marketing do Livro: Materiais para uma Sociologia do Editor Português. Oeiras: Celta.
Martins, J. M. (2005). As Profissões do Livro. Lisboa: Verbo.
Processing and Management, 42(2), 583?592.
Reinking, D. et al. (Eds.) (1998). Handbook of Literacy and Technology: Transformations in a Post-typographic World. Mahwah (NJ) and London: Lawrence Erlbaum Associates.
Rodríguez, J. (2007). Edición 2.0 ? Los Futuros del Libro. Barcelona: Melusina.
Striphas, T. (2011). The Late Age of Print: Everyday Book Culture from Consumerism to Control. Nova Iorque: Columbia University Press.
Walsh, M., J. Asha and N. Sprainger (2007). ?Reading Digital Texts?. Australian Journal of Language and Literacy, 30 (1), pp. 40-53.