Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  LS , LS-PL

Sociologia Económica (2 º Sem 2018/2019)

Código: 02216
Acrónimo: 02216
Nível: 1º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 36.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 37.0 h/sem 113.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2018/2019
Pré-requisitos Não tem
Objectivos A Unidade Curricular (UC) Sociologia Económica tem como objectivos gerais:
- introduzir no processo de aprendizagem dos alunos a problemática da relação entre economia e sociedade e de que forma a sociologia económica tem contribuído para a estruturação deste debate;
- desenvolver um debate em torno, quer dos contributos clássicos, quer dos mais recentes numa linha de compreensão histórica dos fenómenos económicos como base de estruturação deste domínio de análise e de prática sociológicas;
- desenvolver nos alunos competências de reflexão e análise crítica dos principais conceitos, teorias e respectiva aplicação na análise da realidade.  
Programa 1. Sociologia económica: objecto teórico e objecto empírico
1.1. A relação entre economia e sociedade: o económico com um facto social total
1.2. Percurso histórico e demarcações teóricas: sociologia económica e nova sociologia económica
1.3. Pluralidade de perspectivas teóricas e de objectos de estudo
2. A estruturação social da economia
2.1. Economia e política
2.2. Economia e instituições
2.3. Economia e redes de relações sociais
3. A sociologia dos mercados
3.1. Mercado, economia e campo económico
3.2. A construção social dos mercados
3.3. A sociologia dos mercados financeiros
4. A sociologia económica em Portugal
4.1. Processo socio-históricos de institucionalização
4.2. Principais correntes teóricas e domínios de análise
Processo de avaliação O processo de avaliação da UC Sociologia Económica é constituído pelos seguintes elementos:
- trabalho em grupo sobre um tema específico e respectiva aplicação à análise da sociedade portuguesa, apresentado e discutido em sala de aula, com uma dimensão máxima de 4000 palavras (35%);
- ensaio individual sobre uma obra ou conjunto de artigos de referência da sociologia económica, com uma dimensão máxima de 5000 palavras (65%).
Processo de ensino-aprendizagem O processo de ensino-aprendizagem da UC Sociologia Económica consiste em sessões teórico-práticas constituídas por procedimentos pedagógicos de carácter mais expositivo da responsabilidade da docente, procedimentos de debate e discussão com os alunos de conteúdos e trabalhos práticos realizados e apresentados pelos alunos.
Observações
Bibliografia básica Bourdieu, P. 2006 [2000]. As estruturas sociais da economia. Porto: Campo das Letras.
Fligstein, N. 2001. The architecture of markets. An economic sociology of a twenty-first-century capitalist societies. Princeton: Princeton University Press.
Hass, J. K. 2007. Economic sociology: an introduction. London: Routledge.
Hodgson, G. M. 1994. Economia e instituições. Oeiras: Celta.
Knorr Cetina, K. e Preda, A., orgs. 2005. Sociology of finantial markets. Oxford: Oxford University Press.
Peixoto, P. e Marques, R., org. 2003. A nova sociologia económica. Oeiras: Celta.
Peixoto, P. e Marques, R. 2003. "A sociologia económica em Portugal", Sociologia, Problemas e Práticas, 42: 201-216.
Smelser, N. J. e Swedberg, R. 2005. The handbook of economic sociology. Princeton: Princeton University Press.
Trigilia, Carlo 2002. Economic Sociology. Oxford: Blackwell.
Veloso, L. e Carmo, R. M. do, orgs. 2012. A constituição social da economia. Lisboa: Mundos Sociais.
Bibliografia complementar Aglietta, M. e Rebérioux, A. 2004. Dérives du capitalisme financier. Paris: Albin Michel.
Amable, B. 2005. Les cinq capitalismes: diversité des systèmes economiques et sociaux dans la mondialisation. Paris: Seuil.
Arrighi, Giovanni. 1994. The Long Twentieth Century: Money, Power, and the Origins of Our Times. London: Verso.
Boltanski, L. e Chiapello, È. 1999. Le nouvel esprit du capitalism. Paris: Gallimard.
Bourdieu, Pierre (2017). Anthropologie économique. Cours au Collège de France 1992-1993.
Paris: Seuil.
Bourdieu, Pierre. [2001] 2003. Firing Back: Against the Tyranny of the Market 2. New York: New Press.
Bourdieu, P. 1997. "Le champ économique", Actes de la Recherche en Sciences Sociales, 119 (1): 48-66.
Caillé, A. e Fourel, C., dir. 2013. Sortir du capitalisme. Le scénario Gorz, Lormont: Le Bord de l eau.
Callon, M., org. 1998. The laws of the markets. Oxford: Blackwell.
Castells, M. 2011. "The Crisis of Global Capitalism: Toward a New Economic Culture?" in Calhoun, C. and G. Derluguian, eds. Business as Usual: The Roots of the Global Financial Meltdown New York: NYU Press, pp. 185-209.
Cetina, K. K. e Preda, A. 2012. The Oxford Handbook of the Sociology of Finance. Oxford: Oxford University Press.
Cetina, K. K. e Preda, A. 2006. The sociology of financial markets. Oxford: Oxford University Press.
Chavdarova, T., Slavova, P e Stoeva, S., eds. 2010. Markets as networks. Sofia: St. Kliment Ohridski University Press.  
Chiapello,  È. e  Gilbert,  P. 2013. Sociologie des outils de gestion. Introduction à l analyse sociale de l instrumentation de gestion. Paris: La Découverte.
Dobbin, F. 2004. The Sociology of the Economy.  New York: Russell Sage Foundation.
Durkheim, É 1984 [1893]. A divisão do trabalho social. Lisboa: Presença.
Erickson, M. et al. 2009. Business in society: people, work and organization. Cambridge: Polity Press.
Epstein, Gerald A. (ed.) 2005. Financialization and the World Economy. Cheltenham Glos: Edward Elger Publishing.
Fligstein, N. e Dauter, L. 2007. "The sociology of the markets", Annual Review of Sociology, 33: 105-128.
Fourcade, M. 2005. "Theories of markets and theories of societies". American Behavioral Scientist, 50(8): 1015-1034.  
François, P. 2008. Sociologie des marchés. Paris: Armand Colin.
Freire, J. 2008. Economia e sociedade. Contributos para uma sociologia da vida económica em Portugal na viragem do século. Lisboa: Oeiras.
Granovetter, M. 1985. "Economic action and social structure: the problem of embeddedness", American Journal of Sociology, 91(3): 481-510.
Granovetter, M. e Swedberg, R., orgs. 2001. The Sociology of Economic Life. Boulder: Westview, 2.ª edição.
Hass, Jeffrey K. 2007. Economic Sociology: an introduction. London and New York: Routledge.
Hirschman, Albert O. 1977. The Passions and the Interests: Political Arguments for Capitalism before its Triumph. Princeton: Princeton University Press.
Klein, Naomi. 2007. The Shock Doctrine: The Rise of Disaster Capitalism. New York: Metropolitan.
Lévesque, B., Bourque, G. L. e Forgues, É 2001. La nouvelle sociologie économique. Paris: Desclée de Brower.
Louçã, Francisco e Caldas, José Castro 2009. Economia(s). Porto: Afrontamento.
Marx, K. 1974 [1867]. O capital: crítica da economia política. S.l.: Delfos.
Mauss, M. 2001 [1925]. Ensaio sobre a dádiva. Lisboa: Edições 70.
Mauss, M. 1966 [1950]. Sociologie et Anthropologie, Paris, P.U.F.
Mirowski, P. 2013. Never Let a Serious Crisis Go to Waste: How Neoliberalism Survived the Financial Meltdown. London: Verso.
Mirowski, P. 2004. The effortless economy of science? Durham e Londres: Duke University Press.
North, Douglas C. (1991). "Institutions". Journal of Economic Perspectives, 5(1): 97-112.
Parsons, T. e Smelser, N. J. 1956.  Economy and Society: A Study in the Integration of Economic and Social Theory. Nova York: The Free Press.
Polanyi, K. 2012 [1944]. A grande transformação: as origens políticas e económicas do nosso tempo. Lisboa: Edições 70.
Reis, J. 2007. Ensaios de economia impura. Coimbra: Almedina.
Rodrigues, João, Santos, Ana Cordeiro e Teles, Nuno (2016). A financeirização do capitalismo em Portugal. Lisboa: Editora: Actual Editora.
Santos, B.S. (1985). Estado e sociedade na semiperiferia do sistema mundial: o caso português. Análise Social, 87, 88, 89: 869-901.
Schumpeter, J. 1983 [1934]. The theory of economic development: an inquiry into profits, capital, credit, interest, and the business cycle. New Brunswick: Transaction Publishers.
Simiand, F. (1932). Le salaire, l'évolution sociale et la monnaie. Essai de théorie expérimentale du salaire. Paris: Alcan.
Simiand, F. (2006). Critique sociologique de l'économie. Textes présentés par Jean-Christophe Marcel et Philippe Steiner. Paris: Presses Universitaires de France.
Simmel, G. ed. por Frisby, D. 2004 [1907]. The philosophy of money. Londres e Nova Iorque: Routledge.
Smith, A. 1993 [1776]. An enquiry into the nature and causes of the wealth of nations. Oxford: Oxford University.
Swedberg, R. 2004. "Sociologia Económica: hoje e amanhã". Tempo social, 16(2): 7-34.
Swedberg, R. 2003. Principles of economic sociology. Princeton: Princeton University Press.
Swedberg, R. 1998. Max Weber and the idea of Economic Sociology. Princeton: Princeton University Press.
Terlica, S. e Coelho, B. (2010). "Mercados financeiros. Instituições ocultas e dinâmicas invisíveis", in. Dornelas, A. et al., Portugal Invisível, Lisboa: Mundos Sociais, pp. 7-51.
Veblen, Thorstein 1898. "Why is Economics not an evolutionary science".  The Quarterly Journal of Economics, 12. On line at http://socserv.mcmaster.ca/econ/ugcm/3ll3/veblen/econevol.txt
Weber, M. 1978 [1922]. Economy and society. Berkeley: UC Press.