Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  MPSO

Psicologia das Relações Interpessoais: Contextos Sociais e Organizacionais (2 º Sem 2018/2019)

Código: 03140
Acrónimo: 03140
Nível: 2º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Português, Inglês
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 24.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 25.0 h/sem 125.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2018/2019
Pré-requisitos -
Objectivos Esta unidade curricular visa fornecer aos alunos informação e formação de natureza teórica e prática relacionada com o estudo das relações interpessoais, com especial enfoque nas relações românticas. Esta unidade curricular visa, também, fornecer conhecimentos quanto ao estabelecimento e manutenção de relações interpessoais no contexto específico das organizações de trabalho.
Programa CP1. Introdução ao estudo das relações interpessoais: teorias e métodos de investigação
CP2. Atração inicial: variáveis e outputs do processo de atração
CP3. Relações de amizade ao longo do desenvolvimento
CP4. Relações românticas: teorias e modelos
CP5. Relações românticas: início, desenvolvimento/manutenção e dissolução
CP6. Relações extra-diádicas: sócio-sexualidade, aborrecimento sexual e infidelidade
CP7. Relações interpessoais nas organizações: teorias e modelos
CP8. Tipo de relações interpessoais nas organizações: assédio; chefe-subordinado; entre colegas; relações íntimas
CP9. Modelos de intervenção nas relações interpessoais
Processo de avaliação AVALIAÇÃO CONTÍNUA: Frequência (50% nota final);Trabalho de grupo (50% nota final). Exigida nota mínima de 9,5 valores em qualquer destes parâmetros. Se um destes parâmetros obtiver nota inferior a 9,5 valores, o aluno passa a exame final. EXAME FINAL (100% nota final), aprovação com nota superior a 9,5 valores. Sob nenhuma exceção a nota da avaliação contínua pondera para nota em exame final.
Processo de ensino-aprendizagem As aulas são TP recorrendo a diferentes metodologias de ensino: exposição, exercícios práticos e discussões em grupo na sala de aula.
Observações Regime de presenças (somente para alunos em avaliação contínua):
As aulas teórico-práticas (TP) estão sujeitas a controlo de presenças. O não cumprimento do número mínimo de presenças nestas aulas (80% de presenças) levará à exclusão do aluno de avaliação contínua. Sem prejuízo do controlo electrónico de presenças disponível nas salas de aula, são passadas folhas de presença em cada TP que deverão ser assinadas pelos alunos presentes. Para efeitos de contabilização final de presenças, estas folhas prevalecem sobre o controlo electrónico. As faltas dadas pelos alunos deverão ser justificadas por comprovativos oficiais (e.g., atestados, declarações de presença em órgãos oficiais, etc). Não são aceites qualquer outro tipo de justificações.
Bibliografia básica Adams, J. & Jones, W. (1999). Handbook of interpersonal commitment and relationship stability. New York, NY: Springer
Fincham, F., & Beach, S. (2006). The Cambridge handbook of personal relationships. New York, NY: Cambridge University Press
Sias, P. (2009). Organizing relationships: Traditional and emerging perspectives on workplace relationships. London, UK: Sage Publications.
Sprecher, S., Wenzel, A., & Harvey, J. (2008). Handbook of relationship initiation. New York, NY: Psychology Press.
Bibliografia complementar Pierce, C. A., & Aguinis, H. (2001). A framework for investigating the link between workplace romance and sexual harassment. Group and Organization Management, 26, 206-229.
Powell, G. N., & Foley, S. (1998). Something to talk about: Romantic relationships in organizational settings. Journal of Management, 24, 421-448.
Rodrigues, D. & Lopes, D. (2013). The Investment Model Scale (IMS): Further studies on construct validation and development of a shorter version (IMS-S). The Journal of General Psychology, 140, 16-28.
Rodrigues, D. & Lopes, D. (2014). Development and Validation of the Measure of Initial Attraction (MIA). International Journal of Social Psychology, 29, 532-562.
Rodrigues, D. & Lopes, D. (2015). The role of moral commitment within the Investment Model. International Journal of Psychology, 50, 155-160.
Rodrigues, D., Lopes, D., & Oliveira, J. (2011). O Modelo do Investimento de Rusbult em relacionamentos amorosos hetero e homossexuais [Rusbult?s Investment Model in heterosexual and homosexual romantic relationships]. In-Mind_Português, 2, 1-11.
(outra bibliografia a indicar nas aulas)