Atenção: O sistema vai entrar em manutenção dentro de 5 a 6 minutos e ficará temporariamente indisponível. Seremos breves. Obrigado.

Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  LP

Aprendizagem, Motivação e Emoção (1 º Sem 2017/2018)

Código: L5216
Acrónimo: L5216
Nível: 1º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 24.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 25.0 h/sem 125.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2015/2016
Pré-requisitos Não aplicável
Objectivos Desenvolver e expandir os conhecimentos teóricos e conceptuais que permitam compreender os principais processos de aprendizagem e a importância de factores motivacionais e emocionais no comportamento humano. É enfatizada a importância do estudo científico das causas e dos processos envolvidos na aprendizagem, na motivação e nas emoções e suas aplicações em várias áreas da Psicologia e em distintas áreas da vida.
Programa Processos básicos de aprendizagem e aplicações.
CP1. Princípios básicos de Condicionamento Clássico e Operante.
CP2. Princípios básicos de aprendizagem social.
CP3. Aplicações dos princípios da aprendizagem em situações da vida diária e em distintas áreas da Psicologia.
Motivação e Emoção:
CP4. Definições, Semelhanças e Diferenças.
CP5. Sistemas motivacionais e diferenciação entre motivação intrínseca e extrínseca  
CP6. Natureza das emoções: tipos de emoções e estrutura das emoções.
CP7. Modelos teóricos, funções das emoções e áreas de aplicação.
CP8. Avaliação da experiência emocional: interacção entre componentes biofisiológicos, cognitivos e comportamentais.
Processo de avaliação Dois regimes de avaliação: contínua ou exame escrito.
Contínua:
1. Trabalho de grupo: relatório sobre 2 emoções específica (30%) + apresentação oral (10%)
2.Frequência (60%).
Conclusão UC: mínimo 7.5 valores em cada critério da avaliação (mínimo de média final: 9.5 valores)
Exame escrito (100%): Mínimo 9.5 valores.
É obrigatória a inscrição prévia do aluno para a realização das provas de avaliação.
Processo de ensino-aprendizagem 1. Aulas teórico-práticas:
1.1. Expositivas (teorias, conceitos, resultados de investigação, documentários).
1.2. Participativas (discussão de ideias e exercícios).
1.3. Experienciais (simulação de paradigmas).  
1.4. Ativas: apresentação de trabalhos de grupo.
2.Orientação tutorial (acompanhamento e esclarecimento de dúvidas).
3. Auto-estudo.
Observações Atendimento e acompanhamento tutorial: Em geral às 4ªfeiras (14h00-16h00). No entanto, é importante a marcação prévia do atendimento por e-mail (patricia.arriaga@iscte.pt) Gabinete: 113 Ala Autonoma, ISCTE-IUL.
Cacifo: 336 A

Bibliografia básica Davidson, R. J., Scherer, K. R., & Goldsmithm H. H. (2003). Handbook of affective sciences. Oxford: Oxford University Press.
Elliot, A.J. (2008). Handbook of approach and avoidance motivation.  Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum Associates.
Klein, S. B. (2012). Learning: Principles and applications (6th Ed.). London: Sage.
Lang, P. J. (2010). Emotion and motivation: Toward consensus definitions and a common research purpose. Emotion Review, 2(3), 229-233.
Olsson, A., Nearing, K.I., Phelps, E.A. (2007). Learning fears by observing others: The neural systems of social fear transmission. Social Cognitive and Affective Neuroscience, 2, 3-11.
Pink, D. H. (2011). Drive: A surpreendente verdade sobre aquilo que nos motiva. Alfragide: Estrela Polar.
Shiota, M. N., & Kalat, J. W. (2007). Emotion (2nd Ed). Belmont: Wadsworth.
Shah, J., & Gardner, W. (2008). Handbook of motivation science.  New York: Guilford Press.
Bibliografia complementar Books/Chapters

Damásio, A. (1999/2001). O Sentimento de Si: O corpo, a emoção e a neurobiologia da consciência. Lisboa: Europa - América.

Dunning, D. (2011). Social motivation. New York: Psychology Press.
Gazzaniga, M., Heatherton, T., & Halpern, D. (2010). Psychological science. New York: W. W. Norton.

Strongman, K.T. (2004). A psicologia da emoção. Lisboa: Climepsi.

Artigos/articles:

Arriaga, P., & Esteves, F. (2014). 100 anos depois: Onde está o Watson? Psicologia da Actualidade, 18, 18-35. https://repositorio.iscte-iul.pt/bitstream/10071/7691/1/2014_Arriaga_Esteves_Behaviorism.red2.pdf

Bandura, A. (2002). Social cognitive theory of mass communication. In J. Bryant, & D. Zillman (Eds.), Media effects: Advances in theory and research (2nd ed., pp. 121-153). Hillsdale, NJ: Erlbaum.

Baumeister, R. F., Leary, M. R. (1995). The need to belong: Desire for interpersonal attachments as a fundamental human motivation. Psychological Bulletin, 117, 497-529.

Bunce, S. C., Bernat, E., Wong, P. S., & Shevrin, H. (1999). Further evidence for unconscious learning: preliminary support for the conditioning of facial EMG to subliminal stimuli. Journal of Psychiatric Research, 33(4), 341-347.

Evans, S., Shergill, S. S., Chouhan, V., Bristow, E., Collier, T., & Averbeck, B. B. (2011). Patients with schizophrenia show increased aversion to angry faces in an associative learning task. Psychological Medicine, 41(7), 1471-1479.

Evans-Roberts, C. E. Y., & Turnbull, O. H. (2011). Remembering relationships: Preserved emotion-based learning in Alzheimer's disease. Experimental Aging Research, 37(1), 1-16.

Fredrickson, B. L. (2001). The role of positive emotions in positive psychology: The broaden-and-build theory of positive emotions. American Psychologist, 56(3), 218-226.

Garcia-Marques, T. (2001). À procura da distinção entre cognição, afecto, emoção, estado de espírito e sentimento. Psicologia: Teoria, Investigação e Prática, 6 (2), 253-268.

Gollwitzer, M., & Denzler, M. (2009). What makes revenge sweet: Seeing the offender suffer or delivering a message? Journal of Experimental Social Psychology, 45(4), 840-844.

Giuliani, N. R., McRae, K., & Gross, J. J. (2008). The up- and down-regulation of amusement: experiential, behavioral, and autonomic consequences. Emotion, 8, 714-719.

Gruber, J., Mauss, I. B., & Tamir, M. (2011). A dark side of happiness? How, when, and why Happiness is not always good. Perspectives on Psychological Science, 6(3), 222-233.

Haidt, J. (2003). The moral emotions. In R. J. Davidson, K. R. Scherer, & H. H. Goldsmith (Eds.), Handbook of affective sciences. Oxford: Oxford University Press.

Kenrick, D. T., Griskevicius, V., Neuberg, S. L., & Schaller, M. (2010). Renovating the Pyramid of Needs: Contemporary Extensions Built Upon Ancient Foundations. Perspectives on Psychological Science, 5(3), 292-314.

Montada, L. (2007). Emotion-based aggression motives. In M. Gollwitzer & G. Steffgen (Eds.), Emotions and Aggressive Behavior (pp. 19-36). Göttingen, Germany: Hogrefe & Huber.

Morris, J. S., Öhman, A., & Dolan, R. J. (1998). Conscious and unconscious emotional learning in the human amygdala. Nature, 393, 467-470.

Rolls, E.T. (2007). Emotion elicited by primary reinforcers and following stimulus-reinforcement association learning. In J.A. Coan and J.J.B.Allen (Eds.), Handbook of Emotion Elicitation and Assessment (pp. 137-157) . Oxford University Press: New York.

Ruys, K. I., & Stapel, D. a. (2009). Learning to like or dislike by association: No need for contingency awareness. Journal of Experimental Social Psychology, 45(6), 1277-1280.

Pinkham, A. E., Griffin, M., Baron, R., Sasson, N. J., & Gur, R. C. (2010). The Face in the Crowd Effect: Anger Superiority When Using Real Faces and Multiple Identities. Emotion, 10(1), 141-146. doi: 10.1037/A0017387

Raymond, J. (2009). Interactions of attention, emotion and motivation. Attention, 176, 293-308.

Reis, H. T., & Aron, A. (2008). Love: What Is It, Why Does It Matter, and How Does It Operate? Perspectives on Psychological Science, 3(1), 80-86.

Silvia, P. J. (2008). Interest: The curious emotion. Current Directions in Psychological Science, 17(1), 57-60.