Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  MCP , MCCTI

Comunicação Política (Ch) (2 º Sem 2018/2019)

Código: M0108
Acrónimo: M0108
Nível: 2º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Inglês, Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 20.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 21.0 h/sem 129.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2017/2018
Pré-requisitos Não se aplica.
Objectivos O objectivo desta disciplina é o de promover o estudo da relação entre os processos de informação e comunicação e a vida cívica e política. Pretende-se analisar diferentes vertentes da comunicação e mediação via media na sua articulação com a política, a democracia e a cidadania. Procede-se a uma revisão crítica de aspectos relevantes da teoria e pesquisa, numa abordagem orientada para reforçar conhecimento teórico, elucidar questões contemporâneas, desenvolver competências de análise e reflexão próprias; que capacitem para realização de trabalho científico, promovam aptidão cidadã, habilitem oportunidades de intervenção social, cívica e política informada.

Programa O conteúdo desta disciplina combina planos de informação teórica, elucidação e sistematização conceptual e problematização de tendências contemporâneas dos domínios a que reporta, em torno dos seguintes planos.
1 ? Delineamento conceptual e prospecção das questões que resultam da articulação entre modalidades da comunicação e da informação e entendimentos da política e da democracia.
2 ? Aprofundamento de temáticas específicas dos pólos comunicação e política e da respectiva relação, de que se exemplificam, entre outras: épocas e tendências contemporâneas da comunicação política; comunicação, poder e política; media e conhecimento público; media, democracia e cidadania; política, emoção e razão; comunicação política, imagem e substância; informação, espectáculo e entretenimento; jornalismo e spin doctoring; comunicação em rede e deliberação política; internet, comunicações móveis e cidadania;
Processo de avaliação A avaliação de conhecimentos baseia-se na apreciação da intervenção nas diferentes sessões e do trabalho a entregar no fim do semestre.
Processo de ensino-aprendizagem A metodologia de ensino combina exposição docente; intervenção discente, nomeadamente, através da apresentação de textos ou temáticas e respectivo debate; sessões com especialistas, académicos e profissionais, nos assuntos abordados. Espera-se dos estudantes trabalho próprio de apreensão e aprofundamento das temáticas trabalhadas.
Observações
Bibliografia básica BARREIROS, J.J. (2010) Públicos, Media e Vida Pública, Lisboa, ISCTE-IUL, tese de doutoramento
BENNETT & ENTMAN (Eds)(2001) Mediated Politics, Cambridge U Press
BLUMLER & KAVANAGH (1999)?The Third Age of Political Communication? Political Communication, 16:209?230
CASTELLS,M. (2009) Communication Power, Oxford U Press
Cardoso, G., Santos, S. & Telo, D. (2016). Jornalismo em tempos de crise. Lisboa. Mundos Sociais.
COLEMAN & BLUMLER (2009) The Internet and Democratic Citizenship, Cambridge U Press
DAHLGREN,P. (2009) Media and political engagement, Cambridge U Press

LILLEKER,G. (2006) Key Concepts in Political Communication, Sage
MARCUS,G. (2002) Emotion in democratic politics, Pennsylvania U Press
STOCKWELL,S. (2005) Political Campaign Strategy, Australian Scholarly Publishing; CAMPBELL & KWAK (2010) ?Mobile Communication and Civic Life?, Journal of Communic., Vol 60:3


Bibliografia complementar Calhoun, Craig (1992), Habermas and the public sphere, Cambridge, The MIT Press.
Correia, João Carlos (2004), Comunicação e cidadania - Os media e a fragmentação do espaço público nas sociedades pluralistas, Lisboa, Livros Horizonte.
Esteves, João Pissarra (2005), O Espaço Público e os Media. Sobre a Comunicação entre Normatividade e Facticidade, Lisboa, Edições Colibri, FCSH-UNL.
Garcia, José Luís (2002), "O fogo e a cultura pan-mediática contemporânea", Media & Jornalismo, 1, pp.129-139
Gingras, Anne-Marie e Jean Pierre Carrier (1996), "Public Opinion: Construction and Persuasion", Canadian Journal of Communication, 21 (4).
Habermas, Jürgen (1989 [1962]), The Structural Transformation of the Public Sphere. An Inquiry into a Category of Bourgeois Society, Cambridge, Polity Press.
Habermas, Jürgen (2006), "Political Communication in Media Society - Does Democracy still enjoy an epistemic dimension? The impact of normative theory on empirical research", Communication Theory, 16(4), pp. 411-426.
HRDINOVÁ,Jana et al (2010) ?Designing social media policy for government? Center for Technology in Government, State University of New York
McQuail, Denis (1998), "Commercialization and beyond", em Denis McQuail and Karen Siune (eds), Media Policy. Convergence, concentration and commerce. Euromedia research group. London, Thousand Oaks, New Delhi, Sage Publications.
McQuail, Denis (2000), Mass Communication theory, 4th edition, London, Thousand Oaks, New Delhi, Sage Publications.
NEGRINE & STANYER (Eds.) (2007)The Political Communication Reader, Rout
Santos, S. & Bicho, C. (2016). Eleições autárquicas 2.0: análise das estratégias de comunicação online de candidatos, partidos e movimentos independentes. Sociologia, Problemas e Práticas. 81, 189-210.