Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  MCTRL , MPP , MS

Sociologia das Profissões (2.º Ciclo) (1 º Sem 2018/2019)

Código: M8099
Acrónimo: M8099
Nível: 2.º e 3.º Ciclos
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 20.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 21.0 h/sem 129.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2015/2016
Pré-requisitos Não se aplica
Objectivos O objetivo geral desta unidade curricular é dotar os alunos de conhecimento e informação necessários ao desenvolvimento de competências de análise sociológica das profissões e do profissionalismo. Nesse sentido, ao longo das sessões apresentam-se os principais conceitos, modelos e instrumentos de análise e, simultaneamente, são realizados, pelos alunos, exercícios de aplicação à análise de casos reais, previamente selecionados.
Programa 1. Análise sociológica das profissões: principais perspetivas teóricas
1.1. As profissões na sociologia clássica
1.2. As correntes funcionalista e interaccionista
1.3. A abordagem crítica
1.4. A corrente neoweberiana
1.5. A análise sistémica e as abordagens comparativas
2. Profissionalização, desprofissionalização e profissionalismo
3. Associativismo e regulação profissional
4. Enfoques de análise das profissões
5. Análise sociológica das profissões em Portugal
Processo de avaliação A avaliação terá como base a realização de um estudo de caso que será apresentado em sala de aula e por escrito. Para tal é necessário elaborar e apresentar um dossier com toda a informação factual e documentos relevantes compilados ao longo do semestre sobre um caso de manifestação do fenómeno associado às profissões e ao profissionalismo (legislação, estatísticas, discursos - entrevistas, recortes de jornal, etc. - informação histórica, e de comparação internacional, etc.).
Processo de ensino-aprendizagem Os alunos deverão aprofundar os seus conhecimentos teóricos com a leitura da bibliografia complementar recomendada. A aquisição e o desenvolvimento de competências práticas de análise das profissões e do profissionalismo será baseada em estudos de casos. A parte final de algumas sessões será reservada à apresentação e discussão dos trabalhos dos alunos e ao esclarecimento de dúvidas. As últimas sessões serão destinadas à apresentação de estudos sobre as profissões em Portugal.
Observações
Bibliografia básica Burrage, M e Torstendahl, R (orgs.) 1990. Professions in Theory and History. Rethinking the Study of the Professions. Londres: Sage.
Freidson, E 1994. Professionalism Reborn. Theory, Prophecy and Policy. Cambridge: Polity Press.
Freidson, E 2001. Professionalism, the Third Logic. Cambridge: Polity Press.
Freire, J et al. 2004 Associações Profissionais em Portugal. Oeiras: Celta.
Gonçalves, C M 2007 "Análise sociológica das profissões: principais eixos de desenvolvimento", Sociologia: Revista da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 17/18: 177-224.
Rodrigues, M L 2012 Profissões, ensaios e lições. Coimbra: Almedina. Rodrigues, M L 2001 Sociologia das Profissões. Oeiras: Celta, 2.ª edição.
Bibliografia complementar Abbott, A 1991 "The order of professionalization: an empirical analysis", Work and Occupations, 18 (4): 355-384.
Abbott, A 1988 The System of Professions. An Essay on the Division of Expert Labor. Chicago: University of Chicago Press.
Bertilsson, M (1990 "The welfare-state, the professions and citizens". In R Torstendahl e M Burrage (orgs), The Formation of Professions. Londres: Sage, pp. 237-249.
Bucher, R e Strauss, Anselm L 1961 "Professions in process", American Journal of Sociology, 66: 325-334.
Burrage, Michel, e Rolf Torstendahl (orgs.), Professions in Theory and History. Rethinking the Study of the Professions, Londres, Sage, 1990.
Delicado, A, Borges, V e Dix, S (orgs.) 2010 Profissão e vocação: ensaios sobre grupos profissionais. Lisboa: ICS..
Derber, C 1982 "The proletarianization of the professional: a review essay". In. Derber, C (org.), Professionals as Workers. Mental Labor in Advanced Capitalism. Boston: G.K. Hall.
Dubar, C e Tripier, P 1998 Sociologie des Professions. Paris: Armand Colin.
Durkheim, É. 1984 [1902] A Divisão do Trabalho Social. Lisboa: Editorial Presença.
Etzioni, A (org.) 1969 The Semi-Professions and Their Organization. Teachers, Nurses, Social Workers. Nova Iorque: The Free Press.
Fielding, A G e Portwood, D 1980 "Professions and the state: towards a typology of bureaucratic professions". Sociological Review, 28(1): 23-53.
Freidson, E 2006 "Para uma análise comparada das profissões: a institucionalização do discurso e do conhecimento formais", Revista Brasileira de Ciências Sociais 11 (31): 141-145.
Freidson, E 2001 Professionalism, the Third Logic. Cambridge: Polity Press.
Goode, W 1957 "Community within a community: the profession", American Sociological Review 25 (6): 194-200.
Gouldner, A 1957 "Cosmopolitans and locals: toward an analysis of latent social roles", Adminstrative Science Quaterly 2(3): 281-306.
Gyaramati, G 1975 "The doctrine of the profession: basis of a power structure", International Social Science Journal, 27(4): 629-654.
Haug, Marie R 1975, "The deprofessionalization of everyone?", Sociological Focus 8 (3): 197-213.
Hughes, Everett C., The Sociological Eye. Selected Papers, Chicago e Nova Iorque, Aldine, Atherton, 1971.
Johnson, T 1972 Professions and Power. Londres: Macmillan.
Larson, M S 1977 The Rise of Professionalism. A Sociological Analysis. Berkeley:  University of California Press.
Lucas, Y e Dubar, C (orgs.) 1994, Genèse et Dynamique des Groupes Professionnels. Lille: Press Universitaire de Lille.
MacDonald, Keith M 1995 The Sociology of the Professions. Londres: Sage.
McCormick, K 1985 "Professionalism and work organization: some loose ends and open questions", Sociology 19(2): 285-294.
Merton, Robert K 1982 Social Research and the Practicing Professions. Nova Iorque: University Press of America.
Mineiro, J 2012 Será possível profissionalizar uma ciência? Cientificidade, profissionalização e questões deontológicas na sociologia, CIES e-Working Paper, 135/2012, URL: http://www.cies.iscte.pt/np4/?newsId=453&fileName=CIES_WP135_Mineiro.pdf
Noordgraaf, M 2007 "From 'pure' to 'hybrid' professionalism. Present-day professionalism in ambiguous public domains", Administration & Society 39(6): 761-785.
Oppenheimer, M 1973 "The proletarianization of the professional". The Sociological Review Monograph (Professionalisation and Social Change) 20(1): 213-227.
Parsons, T 1939 "The professions and social structure". Social Forces 17(4): 457-467.
Parsons, T 1968 "The professions". In. International Encyclopedia of Social Science, vol. 12. Nova Iorque: The Free Press and Macmillan.
Rego, R (ed.) 2013 The trend towards the European deregulation of professions and its impact on Portugal under crisis, Palgrave Macmillan.
Svensson, Lennart G. e Evetts, J (orgs.) 2010 Sociology of Professions: Continental and Anglo-Saxon Traditions. Göteborg: Daidalos.
Torstendahl, R, e Burrage, M (orgs.) 1990 The Formation of Profession: Knowledge, State and Strategy. Londres: Sage.
Weber, M 1984 [1922], Economia y Sociedad. México: Fondo de Cultura Económica.
Veloso, L et al. 2012 "Questões deontológicas de metodologia de investigação em sociologia: o caso do interesse público e das profissões". Sociologia, Problemas e Práticas 69:  87-98.
Vollmer Howard M. e Mills Donald L. (orgs.) 1966 Professionalization. Nova Jérsia: Prentice-Hall.
Wilensky, H 1964 "The professionalization of everyone?". American Journal of Sociology 70: 137-158.


Outras referências disponíveis em suporte eletrónico:
INE (2011), Classificação Portuguesa das Profissões 2010, URL: http://www.ine.pt/xportal/ xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes&PUBLICACOESpub_boui=107961853&PUBLICACOESmodo=2&xlang=pt
Lei n.º 2/2013 de 10 de janeiro, "Estabelece o regime jurídico de criação, organização e funcionamento das associações públicas profissionais"
Lei n.º 6/2008 de 13 de Fevereiro, "Regime das Associações Públicas Profissionais"
Páginas eletrónicas de revistas na área de Sociologia das profissões:  
Current Sociology - URL: http://csi.sagepub.com/
European Societies - URL: http://www.tandfonline.com/toc/reus20/current
Professions and Professionalism - URL: http://journals.hioa.no/index.php/pp]
Work and Occupations - URL: http://wox.sagepub.com/
Work, Employment and Society - URL: http://wes.sagepub.com

A bibliografia relativa ao estudo de profissões em particular deve ser pesquisada pelos alunos e, se necessário, solicitar o apoio à docente.