Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  MGE

Liderança e Gestão de Recursos Humanos (1 º Sem 2019/2020)

Código: M9126
Acrónimo: M9126
Nível: 2º Ciclo
Estruturante: Sim
Língua(s) de Ensino: Inglês, Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 30.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 31.0 h/sem 119.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2018/2019
Pré-requisitos Nenhum
Objectivos Após a conclusão bem-sucedida desta UC os estudantes deverão explicar as relações entre a liderança, a gestão de recursos humanos (GRH) e o desempenho organizacional, tendo por base a evidência disponível mais recente sobre este tópico e conceber capazes de estimular o desempenho em condições competitivas diferenciadas.
Programa CP1. Liderança, GRH e organizações: das práticas de gestão de pessoas à performance
CP2. Liderança e promoção da performance: estilos, lmx, liderança transformacional, autêntica e ética
CP3. GRH e capacidades organizacionais: clima de serviço, coordenação relacional
CP4. GRH e capacidades dinâmicas: ambidextria, mindfulness organizacional
Processo de avaliação A avaliação periódica implica: um teste (50%); submissão de 3 notas com a análise de três estudos de caso discutidos em aula (20%); um trabalho de grupo (30%).
Os alunos que não realizem alguma destas componentes da avaliação, que obtenham nota inferior a 7,5 na componente individual ou que tenha uma taxa de presença nas aulas inferior a 80% deverão submeter-se a avaliação final (exame que conta 100% da nota final).
Processo de ensino-aprendizagem Esta UC faz uso de abordagens pedagógicas diferenciadas. Para além da apresentação de elementos conceptuais centrais, faz-se recurso a estudos de caso e exercícios de diagnóstico que possam permitir a integração dos conhecimentos. Os estudantes são estimulados a ler a bibliografia antes das aulas.
Esta abordagem destina-se a promover o trabalho autónomo e a capacidade de análise e de crítica por parte dos estudantes, bem assim como a combinação entre o conhecimento científico e o aplicado.
Observações Horário de atendimento por marcação.
Bibliografia básica Gittell, J. (2011). New direction for relational coordination theory. In Cameron & Spreitzer (Eds), The Oxford handbook of positive organizational scholarship. Oxford University Press.

Northouse, P. G. (2016). Leadership: Theory and practice (7th edition). London: Sage.

O'Reilly, C. A., & Tushman, M. L. (2004). The ambidextrous organization. Harvard Business Review, 82(4), 74-83.
Schneider, B. Macey, W. H., and Young, S. A. (2006). The climate of service: A review of the construct with implications for achieving CLV goals. Journal of Relationship Marketing, 5, 2/3, 1111-132.

Thusman, M., Smith, W, and Binns, A. (2011). The ambidextrous CEO. Harvard Business Review, June, 75-80.

Weick, K. and Sutcliffe, K. (2015). Managing the unexpected: Sustained performance in a complex world. New Jersey: John Wiley & Sons.
Bibliografia complementar Birkinshaw, J. and Gibson, C. (2004). Building ambidexterity into an organization. Sloan Management Review, Summer, 47-55.
Day, D. and Antonakis, J. (2012). The nature of leadership. London: SAGE.
Ferreira, A., Matinez, L., Nunes F. G. e Duarte, H. (Eds) (2015). GRH para Gestores. Lisboa, RH Editora. Capítulo 3.
Hong et al. (2013). Missing Link in the service profit chain. Journal of Applied Psychology, 98, 2, 237-267.
Jiang et. al. (2012). How does human resource management influence organizational outcomes? Academy of Management Journal, 55, 6, 1264-1294.
Lengnick-Hall et al. (2011). Developing a capacity for organizational resilience through strategic HRM Human Resource Management Review, 21, 243-255.
O'Reilly III and Tushman, M. (2008). Ambidexterity as a dynamic capability: Resolving the innovator's dilemma. Research in Organizational Behavior, 28, 185-206.
O'Reilly III and Tushman, M. (2013). Organizational ambidexterity: Past, present, and future. Academy of Management Perspectives, 27, 324-338.
Pfeffer, J. (2005) Producing sustainable competitive advantage through the effective management of people. Academy of Management Executive, 19, 4, 95-106.

Journals
Human Resource Management Review
Human Resource Management Journal
The Leadership Quarterly