Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  LE

Economia Portuguesa e Europeia (2 º Sem 2016/2017)

Código: M9131
Acrónimo: M9131
Nível: 1º Ciclo
Estruturante: Sim
Língua(s) de Ensino: Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 36.0 h/sem 0.0 h/sem 18.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 55.0 h/sem 95.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2013/2014
Pré-requisitos Conhecimentos básicos de teoria económica, nomeadamente macroeconomia, economia internacional e economia monetária.
Objectivos A disciplina tem os seguintes objetivos gerais:
1. Proporcionar aos alunos conhecimento sobre a evolução da economia portuguesa desde 1960;
2. Proporcionar aos alunos conhecimentos sobre o processo de integração europeu;
3. Estimular e desenvolver a análise económica dos alunos tendo como referência factos e eventos ocorridos na economia portuguesa e no processo de integração europeu.
Programa I.A ec. Portuguesa desde 60
1.Ciclos económicos
1.1Introdução
1.2Factos estilizados
1.3Sincronização com os ciclos dos parceiros económicos  
2.Aspetos estruturais
2.1Estrutura sectorial
2.2Contabilidade do crescimento
2.3Demografia
2.4Qualificação dos RH
2.5Emprego e salários
2.6Inflação e regimes cambiais
2.7Fin.Públicas
2.8Rel.ec.internacionais
3.Episódios de políticas de estabilização
II.Processo de integração europeia
1.Áreas monetárias óptimas
2.O processo histórico da UE
3.Principais instituições e processo de decisão
4.Políticas no domínio da economia
4.1Introdução
4.2A PAC
4.3Coesão e desenvolvimento regional
4.4Concorrência
4.5Estratégias da UE
4.6Rel.ec.internacionais
5.Pol. monetária da área do Euro e coordenação das pol. económicas dos EM
5.1Enquadramento das pol. de gestão da procura agregada-o PEC e estratégia da pol. monetária
5.2Discussão crítica do enquadramento institucional
5.3A reforma do PEC
5.4Desenvolvimentos recentes
Processo de avaliação Avaliação contínua (AC):
1. Teste intermédio (TI) - 1ª parte do programa
2. Trabalho de grupo (TG) - apresentação em aula de um artigo
3. Teste final (TF) - 2ª parte do programa
A nota final (NF)=0,4*TI+0,2*TG+0,4*TF
São excluídos da AC os alunos que em qualquer dos momentos de avaliação tiverem nota <7,0. Os alunos deverão registar uma assiduidade igual ou superior a 80% para estarem considerados em AC.
Os alunos que não se encontram em AC vão a exame final, que valerá 100%.
Processo de ensino-aprendizagem As aulas dividem-se em teóricas e práticas. Antes de cada aula teórica são fornecidos documentos de apoio.
Nas aulas práticas são feitas apresentações pelos alunos, correspondendo a trabalhos de grupo, de artigos previamente selecionados. Existe atendimento específico dos docentes a alunos.
Encoraja-se ainda e-mail directo ao docente, uma vez que esta forma de contacto estimula a apresentação pelos alunos das suas dúvidas de modo mais estruturado.  
Observações Espera-se que os estudantes participem activamente durante o semestre. Isto significa estudar previamente às aulas, respondendo a questões lançadas nas aulas e submeter-se ao regime de avaliação da disciplina.

Bibliografia básica Silva Lopes, A Economia Portuguesa desde 1960, 6ª edição, Novembro de 2002, Gradiva.
Banco de Portugal, A Economia Portuguesa no Contexto da Integração Económica, Financeira e Monetária, Dezembro de 2009.
De Grauwe, P (2012), Economics of Monetary Union, 9th Edition, Oxford University Press.
Bibliografia complementar Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa, O impacto do Euro na Economia Portuguesa, Ministério das Finanças, Abril 1998.
Barreto, António (2000), A Situação Social em Portugal, 1960-1995, Lisboa, ICS.
Pinto, A. M. (2007), Economia Portuguesa Melhor é Possível, Almedina, Março de 2007.
Issing, O.  & others (2001), Monetary Policy in the Euro Área, Cambridge University Press.