Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  LCP

Sistemas Políticos Comparados (1 º Sem 2019/2020)

Código: L5161
Acrónimo: L5161
Nível: 1º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 36.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 37.0 h/sem 113.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2019/2020
Pré-requisitos Não tem.
Objectivos Esta cadeira pretende iniciar os alunos ao estudo comparativo das características e performances dos sistemas políticos europeus. Porém, serão também introduzidas comparações com sistemas políticos de outros continentes.  
Tal estudo consistirá na análise das inter-relações dos sistemas políticos europeus com os seus ambientes internos (sociedade nacional) e externos
(os outros sistemas políticos, etc.), sobretudo com os primeiros.
Programa I. Conceitos fundamentais e método comparativo

II. Fontes sociais do conflito político nos países da UE 27

III. Articulação, integração e representação de interesses na UE 27

IV. Instituições Políticas nos países da UE 27

V. A performance dos sistemas políticos nos países da UE 27

VI. Sistemas políticos dos PALOP
Processo de avaliação I - Opção avaliação contínua
a) participação nas aulas e exposição oral de grupo (40%)
c) ensaio de grupo com a comparação de 2 ou mais sistemas políticos (20%)
d) teste final data do exame de 1ª época (40%).
Nota: Estudantes em avaliação contínua têm que assistir a pelo menos 70% das aulas.
OU
II - Opção exame
Nota: o exame final (2ª época) é uma alternativa para os que tenham insucesso na avaliação contínua. Os estudantes que optam por avaliação não contínua podem fazer o exame na 1ª época.
Processo de ensino-aprendizagem Actividades envolvendo aulas (teóricas e teórico-práticas, seminários), trabalho de campo, orientação tutorial (tempo de contacto com o docente) e trabalho dos estudantes.
Observações
Bibliografia básica Bale, T. (2017) European Politics: A Comparative Introduction, 4th Edition, Basingstoke, Palgrave Macmillan.

Costa Lobo, M. e Amorim Neto, O. (Org.) (2009), O Semipresidencialismo nos Países de Língua Portuguesa, Lisboa, ICS.

Freire, A. (org.) (2012), O Sistema Político Português, séculos XIX-XXI: Continuidades e Ruturas, Coimbra, Almedina, pp. 5-22, 257-300. (2ª reimpressão: 2013)

Freire, A. (org.) (2011), Eleições e Sistemas Eleitorais no século XX Português: Um Balanço Histórico e Comparativo, Lisboa, Colibri.

Freire, A., e Pinto, A.C. (2010), O Poder Presidencial em Portugal - Os dilemas do poder dos presidentes na República Portuguesa, Lisboa, D. Quixote.

Lijphart, A. (2012), Patterns of Democracy: Government Forms and Performance in Thirty-Six Countries, Yale, Yale U. Press.

Pasquino, G. (2005), Sistemas Políticos Comparados, Cascais, Principia.
Bibliografia complementar Alcantara, Manuel (Ed.) (2000), Sistemas políticos de la Unión Europea. Valencia, Tirant lo Blanch.

Alcock, A. (2005), História concisa da Europa. Dos Gregos e Romanos à actualidade, Mem Martins, Europa-América.

Almond, G., Dalton, R., Powell, G.B., e Strom, K. (organizadores) (2006), Comparative Politics Today, New York, Pearson / Longman.

Arter, D. (2006), Democracy in Scandinavia: Consensual, Majoritarian or Mixed?, Manchester, Manchester University Press.

Caramani, D. ed. (2014), Comparative Politics, 4th Edition, Oxford, Oxford University Press.

Colomer, J. (ed.) (2002), Political Institutions in Europe, 2nd Edition, London, Routledge.

Crepaz, Markus, et al (editors) (2000), Democracy and Institutions: The Life Work of Arend Lijphart, Michigan, Michigan University Press.

Diamandouros, Nikiforos e Gunther, Richard (Orgs.) (2001), Parties, Politics, and Democracy in New Southern Europe, Baltimore, The John Hopkin University Press.

Easton, D. (1992, 1965), "Categorías para el análisis sistémico de la política", in AA.VV. (compilação e organização de Albert Batlle), Diez Textos Básicos de Ciencia Política, Barcelona, Ariel, pp. 221-230.

Freire, A. (2006), Esquerda e Direita na Política Europeia. Portugal, Espanha e Grécia em Perspectiva Comparada, Lisbon, Imprensa de Ciências Sociais.

Freire, A. (2007), "Minority Representation in Portuguese Democracy", Portuguese Journal of Social Science, Volume 6 (3), pp. 193-211.

Grossman, E., e Sauger, N. (2007), Introduction aux Systèmes Politiques Nationaux de l'UE, Bruxelles, Editions De Boeck U. Judt, T. (2006), Pós-guerra. História da Europa desde 1945, Lisboa, Edições 70.

Lane, J.E., e Ersson, S. (1999), Politics and Society in Western Europe, London, Sage.

Landman, T. (2003), "Why, How, and Problems of Comparison", Issues and Methods in Comparative Politics. An Introduction, Londres, Routledge, pp. 1-61.

Lijphart, A. (2008), Thinking about Democracy - Power Sharing and Majority Rule in Theory and Practice, New York, Routledge.

Lijphart, A., e Waisman, C.H. (1996), Institutional Design in New Democracies, Colorado, Westview Press.

March, Luke, e Freire, André (2012), A Esquerda Radical em Portugal e na Europa. Marxismo, Mainstream ou Marginalidade?, Porto, Quid Novi.

Norris, Pippa (2008), Driving democracy. Do Power Sharing Institutions Work?, Cambridge, Cambridge University Press.

O'Flynn, Ian, and Russell, David (2005), Power Sharing. New Challenges for Divided Societies, London, Pluto Press.

Pridham, G., Lewis, P. G. (Eds.) (1996), Stabilising fragile democracies. Comparing new party systems in southern and eastern Europe, London, Routledge.

Rhodes, M., Heywood, P., e Wright, V. (Org.), Developments in West European Politics, London, St. Martin's Press.

Rose, R., e Munro, N. (2003), Elections and Parties in New European Democracies, Washington DC, CQ Press.

Sanches, E. (2010), ?Institucionalização dos Sistemas Partidários na África Lusófona ? O caso cabo-verdiano?, Cadernos de Estudos Africanos, No. 20, pp. 111-138.

Tiersky, R., e Jones, E. (Eds.) (2007), Europe Today. A Twenty-First Century Introduction, Lanham, Rowman & Littlefield.

Tsebelis, G. (1995), "Decision Making in Political Systems: Veto Players in Presidentialism, Parliamentarism, Multicameralism and Multipartyism", British Journal of Political Science, Vol. 25, No. 3, pp. 289-325.

White, S., Batt, J., e Lewis, P.G. (Org.), Developments in Central and East European Politics, London, Palgrave/Macmillan.