Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  LP

Métodos de Investigação Quantitativos (2 º Sem 2016/2017)

Código: L5215
Acrónimo: L5215
Nível: 1º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 12.0 h/sem 18.0 h/sem 9.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 40.0 h/sem 110.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2016/2017
Pré-requisitos Não tem.
Objectivos Fornecer os instrumentos teóricos e aplicados que permitam analisar criticamente e desenvolver pesquisa em Psicologia, utilizando técnicas de análise quantitativas.
Programa CP1. Planos correlacionais, experimentais e quasi-experimentais.
CP2. Planos experimentais (inter-sujeitos e intra-sujeitos).
CP3. Planos experimentais multifactoriais.
CP4. Problemas de medição e de manipulação de variáveis.
CP5. Procedimentos na construção e selecção de instrumentos de medida.
CP6. Inquéritos: Construção e recolha dos dados.
CP7. Princípios éticos na investigação.
CP8. Análise crítica da pesquisa quantitativa.
Processo de avaliação Para realizar a avaliação periódica, os alunos deverão:
-Perfazer os créditos necessários de participação em estudos no LAPSO (3 horas no sistema SPI) (5%);
-Realizar um trabalho de grupo (20%);
-Realizar apresentações de textos nas aulas (10%);
-Realizar uma frequência individual no final do semestre (65%)
Os alunos podem também fazer a UC por exame final (100%).
Processo de ensino-aprendizagem Nas aulas téoricas expoem-se os conceitos básicos. Nas Teórico-Práticas e nas  Práticas Laboratoriais realizam-se exercícios de aplicação dos conhecimentos adquiridos nas Teóricas, e apresentam-se e discutem artigos de investigação quantitativa.
Das 110 horas de trabalho autónomo.:
- 3 horas para participação em estudos
-15 horas para preparação da apresentação de um artigo empírico
-20 horas para a elaboração de um trabalho escrito
-72 horas para estudar para o teste
Observações Nota mínima em avaliação periódica:
É exigida nota mínima de 9,5 valores em qualquer dos parâmetros da avaliação periódica explicada no campo "Processo de avaliação". Se um destes parâmetros obtiver nota inferior a 9,5 valores, o aluno passa a exame final.

Nota de aprovação em exame final:
Para ficar aprovado em exame final, o/a aluno/a deverá ter no mínimo 9,5 valores.

Outras normas aplicáveis:
Sob nenhuma excepção a nota da avaliação contínua pondera para nota em exame final.
Bibliografia básica Clark-Carter, D. (1997). Doing quantitative psychological research: From design to report. UK: Psychology Press.
Clark-Carter, D. (2009). Quantitative psychology research: The complete student's companion (3rd Ed.). UK: Psychology Press.
Ghiglione, R. & Matalon, B. (1992). O inquérito: Teoria e prática. Oeiras: Celta Editora.
Mitchell, M., & Jolley, J. (2010). Research design explained (7th Ed.). Belmont, CA: Wadsworth, Cengage Learning.
Bibliografia complementar Aiken, L. R. (1997). Questionnaires and inventories: Surveying opinions and assessing personality. New York: John Wiley.

Anderson, N. H. (2001). Empirical direction in design and analysis. Yahweh, NJ: Laurence Erlbaum Associates, Publishers.

Breakwell, G. M., Hammond, S., & Fife-Schaw, C. (Eds.) (2000). Research methods in Psychology (2nd ed). London: Sage.

Bryman, A. & Cramer, D. (2003). Análise de dados em ciências sociais: Introdução às técnicas utilizando o SPSS para Windows. Oeiras: Celta Editora.

Field, A.P., & Hole, G. (2003). How to design and report experiments. London: Sage.

Foddy, W. (1993). Como perguntar. Teoria e prática da construção de perguntas em entrevistas e questionários. Oeiras: Celta Editora.

Furr, R. M. & Bacharach, V. R. (2014). Psychometrics: An introduction. Thousand Oaks, CA: Sage Publications.

Ghiglione, R. & Matalon, B. (1992). O inquérito: Teoria e prática. Oeiras: Celta Editora.

Heiman, G. W. (2001). Understanding research methods and statistics: An integrated introduction for psychology. Belmont, CA: Wadsworth.

Lima, M. L. & Bernardes, S. (2013). Métodos de investigação em psicologia social. In J. Vala & M. B. Monteiro (Eds.), Psicologia social (9ª ed., pp. 1-41). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Meltzoff, J. (1998). Critical thinking about research. Washington, D C: American Psychological Association.

Millsap, R. E. & Maydeu-Olivares, A. (2009). The Sage handbook of quantitative methods in psychology. London: Sage.

Moreira, J. M. (2004). Questionários: Teoria e prática. Lisboa: Almedina.

Reis, H. T. & Judd, C. M. (2000). Handbook of research methods in social and personality psychology. UK: Cambridge University Press.



Para além destes artigos, os alunos terão outros artigos atribuídos especificamente para os trabalhos.