Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  LP

Competências Académicas II (2 º Sem 2018/2019)

Código: L5245
Acrónimo: L5245
Nível: 1º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Inglês, Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 18.0 h/sem 18.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 37.0 h/sem 113.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2017/2018
Pré-requisitos Esta Unidade Curricular supõe um domínio mínimo da língua inglesa, uma vez que inclui docentes estrangeiros e poderá funcionar totalmente em inglês se houver alunos estrangeiros inscritos
Objectivos Esta unidade curricular visa fornecer aos alunos informação e formação de natureza conceptual, técnica, metodológica e deontológica relativa à conceção, realização e divulgação de investigação em Psicologia. Esta Unidade Curricular terá uma forte componente prática na qual o/as aluno/as terão oportunidade de desenvolver diferentes fases de uma pesquisa em todas as suas vertentes, desde a conceção à divulgação.
Programa CP1. Definição e conceptualização de um problema de investigação:
CP1.1. Identificação e definição de problema de pesquisa.
CP1.2. Pesquisa teórica sobre principais constructos.
CP1.3. Identificação e definição de hipóteses de trabalho.
CP2. Ética na investigação: tratamentos adequados em sujeitos humanos.
CP3. Definição de plano de estudo e operacionalização de variáveis:
CP3.1. Selecção de planos de estudo e avaliação da qualidade da investigação.
CP3.2. Questões de tradução, adaptação de instrumentos e concepção de novos materiais
CP4. Preparação logística da pesquisa:
CP4.1. Gestão de participantes.
CP4.2. Organização logística.
CP4.3. Acompanhamento e realização de recolha de dados.
CP5. Análise de dados quantitativos e/ou qualitativos.
CP6. Divulgação dos resultados da pesquisa:
CP6.1. Apresentação de poster.
CP6.2. Escrita de artigo científico.
Processo de avaliação Dois regimes: contínua ou periódica.
A) Contínua:
1.Elaboração em grupo de artigo sobre investigação desenvolvida (40%)
2.Práticas laboratoriais (10%):
3. Participação no processo de investigação (5%) + Apresentação oral (5%)
4.Frequência (40%)
B) Periódica:
1.Escrita de artigo científico (50%)
2.Exame (50%)
Aprovação: Mínimo 9.5 valores em cada critério (mínimo média final 9.5 valores).
Processo de ensino-aprendizagem 1. Aulas teórico-práticas: Explicação, reflexão e aplicação dos conteúdos sobre investigação; análise de dados, com metodologias expositivas e participativas.
2. Práticas laboratoriais: monitorização do processo de investigação (desenho do estudo, implementação e divulgação).
3. Orientação tutorial: Acompanhamento e esclarecimento de dúvidas.
4. Auto-estudo: Estudantes com trabalho autónomo e cooperativo com os colegas.
Observações Esta Unidade Curricular pressupõe um domínio mínimo da língua inglesa. Poderá ser disponibilizada bibliografia específica em inglês, bem como tutorias, se houver alunos estrangeiros inscritos.
Bibliografia básica American Psychological Association (2009). Publication manual of the APA (6th Ed.). Washington, DC: APA.
Breakwell et al. (2000). Research methods in psychology (2ed.). London: Sage.
Hailman, J.P., & Strier, H.B. (1997). Planning, proposing and presenting science effectively. A guide for graduate students and researchers in the behavioral sciences and biology. New York, NY: Cambridge University Press.
Meltzoff, J. (1998). Critical thinking about research. Washington, DC: American Psychological Association.
Nicol, A., & Pexman, P. (2003). Displaying your findings: a practical guide for creating figures, posters and presentations. Washington, DC: APA.
Ordem dos Psicólogos Portugueses (2011). Código Deontológico da Ordem dos Psicólogos Portugueses. Diário da República, 2.ª série, 78, 20 Abril, 17931- 17936.
Prada, M., & Garrido, M. V. (in press). Conhecer as regras do jogo: Uma introdução às normas para escrita científica da American Psychological Association. Psicologia.
Bibliografia complementar 2011 people program: Guide for applicants. Retrieved from European Commission Cordis FP7 website: http://cordis.europa.eu/fp7/ethics_en.html

Behling, O., & Law, K. S. (2000). Translating questionnaires and other research instruments: Problems and solutions. Thousand Oaks: Sage.

Bausell, R. B. (1994). Conducting meaningful experiments. Thousand Oaks: Sage.

Dancey, C. P., & Reidy, J. (2002). Statistics without maths for psychology: Using SPSS for windows. Essex: Pearson Education.

Del Rio, M.P., & Beltran, F.S. (1999). La investigación experimental en Psicología. Málaga: Ediciones Aljibe.

Dochartaigh, N.O. (2002). The Internet research handbook: a practical guide for students and researchers in the social sciences. London: Sage.

Fink, A. (1998). Conducting research literature reviews. Thousand Oaks: Sage.

Ghiglione, R. & Matalon, B. (1992). O inquérito: Teoria e prática. Oeiras: Celta Editora.

Guidance note for researchers and evaluators of social sciences and humanities research.  Retrieved from European Commission Cordis FP7. website: http://cordis.europa.eu/fp7/ethics_en.html

Guidance for applicants: Informed consent. Retrieved from European Commission Cordis FP7 website: http://cordis.europa.eu/fp7/ethics_en.html

Kimmel, A.J. (1988). Ethics and values in applied social research. Newbury Park: Sage

Leedy, P.D., & Ormrod, J.E. (2005). Practical Research: Planning and design (8ªed.). Upper Saddle River: Pearson Educational International.

Léon, O.G., & Montero, I. (1997). Diseño de Investigaciones. Madrid: McGraw-Hill.

Mertens, D. M. (2005). Research and evaluation in education and psychology: Integrating diversity with quantitative, qualitative, and mixed methods (2ª ed). Thousand Oaks: Sage.

Moreira, J.M. (2004). Questionários: Teoria e prática. Lisboa: Almedina.

Ordem dos Psicólogos Portugueses (2011). Regulamento disciplinar da Ordem dos Psicólogos Portuguesa. Diário da República, 2ª Série, 140, 22 de Julho de 2011, 30533- 30541.  

Reis, H. T, & Judd, C.M. (2000). Handbook of research methods in social and personality psychology. Cambridge: Cambridge University Press.

Rudestam, K.E., & Newton, R.R. (2000). Surviving your dissertation: A comprehensive guide to content and process. Thousand Oaks: Sage.

Searle, A. (1999). Introducing research and data in psychology: A guide to methods and analysis. London: Routledge.