Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  MEPP , MEPP

Estado, Economia e Políticas Públicas (1 º Sem 2019/2020)

Código: M6800
Acrónimo: M6800
Nível: 2º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 20.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 21.0 h/sem 129.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2018/2019
Pré-requisitos História do Pensamento Económico
Economia Pública




Objectivos Pretende-se que os alunos, no final da unidade curricular, sejam capazes de conhecer as principais controvérsias acerca da natureza e das funções de intervenção do Estado na economia e de derivar implicações ao nível da formulação de políticas públicas.
Programa 1. Concepções de Estado na teoria económica e social
1.1. O Estado na perspectiva da economia política clássica (Smith, Mill)
1.2. Debates recentes: neoliberalismo vs institucionalismo
2. Fundamentos para a intervenção do Estado numa "economia mista"
2.1. Fundamentos microeconómicos: A Economia do Bem Estar
2.2. Fundamentos macroeconómicos: o keynesianismo
2.3. Das "falhas de mercado" às "falhas de governo"
3. Motivações, incentivos e políticas públicas
3.1. A teoria da escolha racional e o papel dos incentivos
3.2. Comportamento e políticas públicas
Processo de avaliação O aluno pode optar por uma das duas seguintes formas de avaliação:
1. Avaliação contínua:
- Trabalho escrito individual (50%)
- Teste individual escrito (50%), a avaliação terá de ser igual ou superior a 8 valores.
Os alunos terão de ter uma assiduidade mínima de 80%.
2. Exame Final (1ª época):
- Exame final escrito (100%)

Ao exame final de 2ª Época podem aceder os alunos que não obtiveram aprovação na avaliação contínua ou na 1ª época.
Processo de ensino-aprendizagem Serão utilizadas as seguintes metodologias de ensino-aprendizagem (ME):
1. Expositivas, para apresentação dos quadros teóricos de referência
2. Participativas, com análise e discussão de casos de estudo, e textos de apoio e leitura.
3. Ativas, com realização de trabalho individual
4. Auto-estudo, relacionado com o trabalho autónomo do aluno, tal como consta no Planeamento das Aulas.
Observações
Bibliografia básica Backhouse, Roger (2002). The Penguin History of Economics, Penguin Books: London, Caps. 6 e 7.
Bromley, Daniel W. (2006). Sufficient Reason. Volitional Pragmatism and the Meaning of Economic Institutions, Princeton University Press: Princeton e Oxford, Caps. 3, 4 e 5.
Chang, Ha Joon (2002), Breaking the mould: an institutionalist political economy alternative to the neo liberal theory of the market and the state, Cambridge Journal of Economics, 26: 539-559.
Frohlich, Norman e Oppenheimer, Joe (2003), Optimal Policies and Socially Oriented Behavior: Some Problematic Effects of an Incentive Compatible Device, Public Choice, vol. 117, nº. 3-4: 273-293.
Gneezy e Rustichini (2000), Pay Enough or Don?t Pay at All, The Quarterly Journal of Economics, August: 791-810.
Hardin, Garret (1968), The Tragedy of the Commons, Science, 162:1243-1248.
Wolff, Jonathan (1996). Introdução à Filosofia Política, Gradiva: Lisboa, Cap. 4.
Bibliografia complementar Akerlof, George A. (1970), The market for lemons: quality uncertainty and the market mechanism, Quarterly Journal of Economics 84: 488-500.
Arrow, Kenneth J. (1963), Uncertainty and the welfare economics of medical care, The American Economic Review vol. 53, nº. 5: 941-973.
Arrow, Kenneth J. (1963). Social Choice and Individual Values, Wiley: New York.
Arrow, Kenneth J. (1974). The Limits of Organization, Norton: New York.
Bromley, Daniel W. (2006). Sufficient Reason. Volitional Pragmatism and the Meaning of Economic Institutions, Princeton University Press: Princeton e Oxford.
Dewey, John 1991 (1927). The Public and its Problems, Ohio University Press.
Frey, B. S. (1997). Not Just for the Money. An Economic Theory of Personal Motivation, Edward Elgar: Cheltenham.
Hayek, F. A. (1960), The Constitution of Liberty, Routledge: London, Caps. 1-6 e 9.
Hirschman, Albert O. (1970). Exit, Voice and Loyalty. Responses to Decline in Firms, Organizations and States, Harvard University Press: Cambridge e London.
Keynes, J. Maynard (1967). The General Theory of Employment, Interest and Money, MacMillan: London.
Mill, John Stuart 1991 (1871). On liberty and Other Essays, Oxford University Press: Oxford.
Nussbaum, Martha (2000), The Cost of Tragedy: Some Moral Limits of Cost Benefit Analysis, Journal of Legal Studies 29: 1005-1036.
Nussbaum, Martha C. (1997), Flawed Foundations: The Philosophical Critique of (A Particular Type of) Economics, The University of Chicago Law Review vol. 64, nº. 4: 1197-1214.
O'Neill, John (1998). The Market: Ethics, Knowledge and Politics, Routledge: London.
Sunstein, Cass R. (1997). Free Markets and Social Justice, Oxford University Press: New York.
Wolff, Jonathan (1996). Introdução à Filosofia Política, Gradiva: Lisboa.