Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  MCP

Dissertação em Ciência Política (2 º Sem 2018/2019)

Código: M8375
Acrónimo: M8375
Nível: 2º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
2 30.0 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 12.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 3.0 h/sem 15.0 h/sem 735.0 h/sem 0.0 h/sem 750.0 h/sem
1 18.0 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 12.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 2.0 h/sem 14.0 h/sem 436.0 h/sem 0.0 h/sem 450.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2016/2017
Pré-requisitos Para se inscrever nesta UC do 2º ano do curso o aluno deve ter realizado as UC curriculares do 1º ano que possibilitem a inscrição no 2ºano do curso.

Objectivos Com esta UC pretende-se fazer o acompanhamento da elaboração e realização do projecto de pesquisa que servirá de base á Dissertação de Mestrado em Ciência Política
Os objectivos da UC:
1) aquisição pelos alunos de competências de pesquisa empírica nas suas diferentes componentes: revisão de literatura, construção do quadro de análise, definição de objectivos e hipóteses, metodologia, análise de dados e elaboração de um relatório;
2) aquisição pelos alunos de competências de exposição e debate público de ideias no campo científico;
3) aquisição pelos alunos de competências de elaboração de relatórios de projecto

Programa O programa desenvolve-se nas seguintes etapas:
1ª aula: apresentação da UC, objectivos e metodologia de trabalho
2ª aula: recomendações relativamente ao estabelecimento dos objectivos, das hipóteses e da metodologia de pesquisa empírica.
3ª aula: recomendações relativamente á análise de dados e á apresentação do relatório final;
4ª á 7ª aula: exposição pelos alunos do seu projeto de pesquisa, a que se seguirá a discussão em turma;
8ª á 12ª aula: apresentação pelos alunos dos desenvolvimentos do seu projecto de pesquisa empírica, a que se seguirá a discussão em turma.  
Processo de avaliação Um júri, expressamente nomeado para tal, irá avaliar a dissertação apresentada pelo mestrando. A classificação atribuída por este júri será a nota final desta UC.
Processo de ensino-aprendizagem As aulas serão todas em seminário. Interessa desenvolver competências de pesquisa, de exposição e de discussão em grupo. A exposição nas aulas das pesquisas dos alunos, bem como dos desenvolvimentos empíricos realizados, deverá ser feita com a ajuda de meios áudio visuais. A discussão conjunta possibilita a posterior incorporação no trabalho de cada um dos alunos dos contributos resultantes dessa discussão.
Observações Nenhuma observação
Bibliografia básica 1 Albarello, Luc et al. (1997), Práticas e Métodos de Investigação em Ciências Sociais, Lisboa, Gradiva.
2 Beck, Michael S. Lewis (1995), Data Analysis: An Introduction, Thousand Oaks, Sage.
3 Brady, Henry E. and David Collier (2004) Rethinking Social Inquiry: Diverse Tools Shared Standards, Lanham, Rowman & Littlefield Publishers.
4 Bryman, Alan (2004,2001), Social Reseach Methods. Oxford: Oxford University Press.
5 Burgess, Robert G. (1997), A pesquisa de terreno. Uma Introdução. Oeiras: Celta.
6 Foddy, William (1996), Como Perguntar. Teoria e Prática da Construção de Perguntas para Entrevistas e Questionários, Oeiras: Celta.
7 Peters, Guy B. (1998), Comparative Politics. Theory and Methods, New York: New York University Press.
8 Scott, John (1990), A Matter of Record. Documentary Sources in Social Research, Cambridge, Polity Press.
Bibliografia complementar Almeida, João Ferreira de, e José Madureira Pinto (1982), A Investigação nas Ciências Sociais, Lisboa, Editorial Presença.

Babbie, Earl (1989), The practice of Social Research, Belmont, California Wadsworth Publishing Company.

Bardin, Laurence (1977), Análise de Conteúdo, Lisboa, Edições 70.

Blaikie, Norman (2007), Approaches to social enquiry: advancing knowledge, Cambridge, Polity Press.

Blanchet, Alain (1987), ?Interviewer?, in Alain Blanchet et ali, Les Techniques d?Enquête en Sciences Sociales, Paris, Dunod.

Ghiglione, Rodolphe e Matalon, Benjamim (1992)O Inquérito. Teoria e Prática.Oeiras:Celta.
May, Tim (2001) (ed) Social research: Issues, Methods and Process. Maidenhead: Open University Press.
Black, Thomas R. (1993), Evaluating Social Science Research: An Introduction, Londres, Sage.
King, Gary, Robert Keohane e Sidney Verba (1994), Designing Social Inquiry, Princeton, Princeton University Press.

O?Dochartaigh, Nial (2002), The Internet Research Handbook: a Pratical Guide for Students and Researchers in the Social Sciences, Londres, Sage Publications.
8 Sartori, G. e L. Morlino eds. (1994), La Comparación en Ciencias Sociales, Madrid, Alianza
9 Ragin, Charles (1987), The Comparative Method. Moving Beyond Qualitative and Quantitative Strategies, Berkley, University of California Press.
8 Punch, Keith F. (1998), Introduction to Social Research: Quantitative & Qualitative Approaches, Londres, Sage.
6 Della Porta, Donatella e Michael Keating (eds.) (2008), Approaches and Methodologies in the Social Sciences. A Pluralist Perspective, Cambridge, Cambridge University Press.