Aviso: Se está a ler esta mensagem, provavelmente, o browser que utiliza não é compatível com os "standards" recomendados pela W3C. Sugerimos vivamente que actualize o seu browser para ter uma melhor experiência de utilização deste "website". Mais informações em webstandards.org.

Warning: If you are reading this message, probably, your browser is not compliant with the standards recommended by the W3C. We suggest that you upgrade your browser to enjoy a better user experience of this website. More informations on webstandards.org.

Sub Menu
ISCTE-IUL  >  Ensino  >  MED

Metodologias de Intervenção para o Desenvolvimento (2 º Sem 2018/2019)

Código: M4606
Acrónimo: MID
Nível: 2º Ciclo
Estruturante: Não
Língua(s) de Ensino: Português
Língua(s) amigável(is):
Ser English-friendly ou qualquer outra língua-friendly, significa que a UC é leccionada numa língua mas que se pode verificar qualquer uma das seguintes condições:
1. Existem materiais de apoio em língua inglesa/outra língua;
2. Existem exercícios, testes e exames em língua inglesa/outra língua;
3. Existe a possibilidade de se apresentar trabalhos escritos ou orais em língua inglesa/outra língua.
1 6.0 0.0 h/sem 20.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 0.0 h/sem 1.0 h/sem 21.0 h/sem 129.0 h/sem 0.0 h/sem 150.0 h/sem
Em vigor desde o ano letivo 2012/2013
Pré-requisitos Conhecimentos básicos sobre Desenvolvimento.
Objectivos -Analisar as alterações, verificadas nos últimos anos, nas metodologias de intervenção para o desenvolvimento;
-Aprofundar os mais importantes métodos de intervenção para o desenvolvimento;
-Aprofundar em particular os métodos participativos e de trabalho em parceria.
Programa 1. Principais características dos métodos de intervenção para o Desenvolvimento tradicionais
1.1. Breve enquadramento sobre a evolução do conceito de Desenvolvimento
1.2. Métodos de intervenção para o Desenvovlimento baseado no crescimento económico - principais características
2. Os novos desafios metodológicos de uma intervenção multidimensional para o Desenvolvimento
2.1. Princípios estratégicos e metodológicos decorrentes dos novos conceitos de Desenvolvimento
2.2. Potencialidades e limites dos métodos participativos
2.3. Os desafios práticos de uma visão integrada
2.4. Vantagens e dificuldades do trabalho em parceria
2.5. As implicações de uma flexibilidade estratégica no Desenvolvimento - o papel da inovação social
Processo de avaliação O(a) mestrando(a) pode optar por uma das seguintes formas de avaliação:
Modalidade A:
Nota Final = [Trabalho individual ou de grupo (4 elementos, no máximo) +[Participação nas aulas]*
Modalidade B:
Nota Final = [Exame Final]*100%
Processo de ensino-aprendizagem Aula teórica expositiva; Aulas teórico-práticas; Análise de experiências e projetos  práticos.
- Exposição da matéria por parte do docente, sendo a exposição da teoria enriquecida com exemplos práticos;
- É sempre permitido o debate, a partir de questões colocadas pelos(as) mestrandos(as).
Observações -
Bibliografia básica - AMARO, Rogério Roque/BIT (2003) "A Luta contra a Pobreza e a Exclusão Social em Portugal - Experiências do Programa Nacional de Luta contra a Pobreza", OIT, Lisboa.
- AMARO, Rogério Roque (2003) - "Desenvolvimento " um conceito ultrapassado ou em renovação? Da teoria à prática e da prática à teoria", in "Cadernos de Estudos Africanos", nº 4, janeiro /julho , Lisboa, p.35-70.
- FRIEDMANN, John (1996) - "Empowerment. Uma Política de Desenvolvimento Alternativo", Celta Editora, Oeiras.
- GUERRA, Isabel (2006) - "Participação e Ação  Coletiva ", S. João do Estoril, Principia Editora.
- GUERRA, Isabel (2007) - "Fundamentos e Processos para uma Sociologia de Ação ", S. João do Estoril, Principia Editora, 2ª edição.
- RODRIGUES, Fernanda e STOER, Stephen (1998) - "Entre parceria e partenariado - Amigos, amigos, negócios à parte", Oeiras, celta Editora.
Bibliografia complementar -